PUBLICIDADE
Topo

Nos EUA, rede ABC deixa de divulgar audiências diárias; o que significa?

 Meredith Grey (Ellen Pompeo), a protagonista de Grey´s Anatomy, cuja 16ª temporada é exibida pela rede ABC nos EUA -
Meredith Grey (Ellen Pompeo), a protagonista de Grey´s Anatomy, cuja 16ª temporada é exibida pela rede ABC nos EUA
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

08/12/2019 05h01

Passou sem chamar maior atenção no Brasil uma notícia que diz muito sobre a situação da televisão em todo o mundo. A rede ABC, uma das quatro maiores dos Estados Unidos, anunciou que não vai mais divulgar as suas audiências diárias. A Fox, outra do primeiro time, tomou atitude semelhante em 2015.

A ABC agora só divulga os dados que incluem os resultados dos seus programas também nas plataformas de streaming. Um dos indicadores inclui o público que assistiu ao vivo e nos três dias seguintes. Outro, o da audiência nos primeiros sete dias. E há um índice que verifica o número de espectadores de um mesmo programa em todas as plataformas ao fim de 35 dias.

A única exceção é a programação ao vivo, cujos números de audiência a ABC decidiu continuar divulgando no dia seguinte.

A presidente da ABC Entertainment, Karey Burke, divulgou uma nota interna explicando as razões da mudança. "Nossos espectadores respondem (aos programas) assistindo, conversando e postando, produzindo um boca-a-boca que gera mais visualizações (e mais conversas) por dias e semanas além da transmissão original". E acrescentou: "À medida que a audiência evoluiu, também aumentou nossa capacidade de capturá-la e monetizá-la".

Ainda disse: "Como uma rede de televisão, nosso trabalho é cativar nosso público e criar uma experiência ao consumidor que faça sentido para o mundo de hoje. Isso significa permitir que as pessoas assistam como querem, onde querem e, o que é mais importante, QUANDO querem. Por isso, nossos relatórios de audiência agora estarão alinhados com nossos negócios e, mais importante, com nossos consumidores".

A nota detalha a audiência de uma série de programas da emissora, como "Grey´s Anatomy", por exemplo, que mostraram crescimento em 2019 em comparação a 2018 na soma das visualizações ao longo de 35 dias.

A decisão reforça duas impressões sobre os novos tempos da televisão. A primeira é que programação ao vivo, em especial esportes e jornalismo, são as âncoras que mantém a TV aberta ainda importante. A segunda é que, de fato, com as possibilidades cada vez maiores de ver os programas exibidos em outras plataformas, como os sites das emissoras, os serviços de streaming, You Tube e Facebook, não devemos nos preocupar tanto com os números de audiência diários.

Stycer recomenda
. Porchat fala ao UOL Vê TV: "Não estamos reféns de nenhuma emissora"


. CNN Brasil contrata Daniela Lima, apresentadora do Roda Viva, da TV Cultura
. Vera Magalhães será nova apresentadora do "Roda Viva"
. 2019 não acabou, mas SBT já festeja: é vice no ibope pelo 3º ano seguido

Melhor da semana
Em mensagem de fim de ano inclusiva, SBT celebra "o amor sem preconceitos"

Pior da semana
Bolsonaro deu 13 entrevistas exclusivas à Record e nenhuma à Globo em 2019

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL