PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Grêmio leva virada, perde para o River e cai nas semifinais da Libertadores

30/10/2018 23h51

Porto Alegre, 30 out (EFE).- O Grêmio sucumbiu nesta terça-feira ao River Plate, terceiro argentino que enfrentou em sequência na Taça Libertadores, perdeu jogo em casa por 2 a 1, de virada, e se despediu melancolicamente nas semifinais da Taça Libertadores, uma semana após vitória no estádio Monumental de Núñez.

O VAR acabou sendo um dos protagonistas da vitória dos visitantes, já que o segundo gol saiu em cobrança de pênalti do meia argentino Pity Martínez, aos 49 do segundo tempo. A origem do lance foi um toque de mão do zagueiro Bressan, que só foi visto pelo árbitro uruguaio Andrés Cunha na tela da televisão instalada na lateral do gramado.

Antes disso, aos 35 da etapa inicial, o lateral-direito Leonardo Gomes abriu o placar para o Tricolor gaúcho, que, ampliava a vantagem obtida com a vitória na ida por 1 a 0. Depois do intervalo, já aos 36, o atacante colombiano marcou de cabeça para empatar.

O Grêmio, que já havia batido Estudiantes e Atlético Tucumán deu adeus a esta edição da Libertadores, em que buscava o segundo título consecutivo e quarto na história, por ter feito um gol a menos que o adversário na condição de visitante, já que houve empate no saldo das duas partidas.

O River, na decisão, poderá fazer uma histórica final contra o Boca Juniors, algo inédito na principal competição continental. Outra possibilidade nunca registrada na história é a de confronto com o Palmeiras, que perdeu em La Bombonera por 2 a 0, e precisará reverter a situação amanhã, no reencontro com os 'Xeneizes'.

O Grêmio veio para o duelo nesta quarta-feira sem o atacante Luan, lesionado, e o zagueiro Kannemann, suspenso, que foram substituídos por Cícero e Paulo Miranda, respectivamente. Além disso, Everton ficou no banco, já que se recuperou recentemente de problema físico, e voltou a dar lugar a Alisson.

O River, por sua vez, entrou em campo na Arena com duas mudanças com relação ao jogo de ida. No meio, Ignacio Fernández entrou na vaga de Pity Martínez, e no setor ofensivo, Lucas Pratto, ex-Atlético Mineiro e São Paulo, ganhou disputa de posição com Ignacio Scocco, ex-Internacional.

Em desvantagem, o time argentino agiu rápido para tentar agredir o Tricolor. Aos 2 minutos, Pratto iniciou a jogada, acionando Quintero, que achou Borré bem posicionado no campo de ataque. O atacante colombiano invadiu a área e bateu na saída de Grohe, mas, ficou longe de acertar o alvo.

Pouco depois, aos 9, os visitantes assustaram mais uma vez, quando Ponzio bateu de longe e obrigou o goleiro gremista a fazer boa defesa. A primeira chegada do time de Renato Gaúcho veio dois minutos depois, quando Alisson arriscou da entrada da área, em bola que saiu à direita do gol defendido por Armani.

Dominado pelo adversário, que controlava a posse de bola, o Grêmio mostrava nervosismo na construção de jogadas e não ameaçava. O River, por sua vez, chegou bem de novo aos 28, quando Palacios pegou sobra de bola perto da área e soltou a bomba, ficando a centímetros de estufar a rede.

A estrela tricolor na Libertadores, no entanto, brilhou mais forte aos 35 do primeiro tempo. Após cobrança de escanteio da direita executada por Alisson, Leonardo Gomes concluiu a entrada da área, contou com desvio da bola em Casco e morreu no fundo do gol 'millonario'.

Com vantagem ampliada, o Grêmio conseguiu administrar bem os primeiros minutos da etapa complementar, sem levar susto, embora não levasse perigo no ataque. Aos 9, Maicon deixou o gramado, por apresentar lesão muscular, e deu lugar a Everton.

Aos poucos, o Cebolinha, como é chamado o camisa 11 do Tricolor, esquentou a temperatura. Na primeira jogada mais perto do gol adversário, aos 17, o atacante partiu em direção a entrada da área e encheu o pé, parando em boa defesa de Armani.

A mil por hora, Everton recebeu belo lançamento de Jael aos 22, ganhou na corrida dos defensores e, frente a frente com o goleiro do River, acabou finalizando mal, em cima do camisa 1.

Os visitantes foram para o tudo ou nada, com Scocco se somando a Borré e Pratto no ataque, substituindo Quintero. Ainda assim, o Grêmio ia se segurando, até os 36, quando Martínez, outro que saiu do banco, cobrou falta na área, e Borré escorou de cabeça para o fundo da rede.

Aos 39, após bola levantada na área, Scocco emendou de primeira, a bola desviou em Bressan, que havia entrado no lugar de Paulo Miranda, e saiu pela linha de fundo. O árbitro uruguaio Andrés Cunha, alguns minutos depois, revisou as imagens, marcou pênalti e mostrou o segundo cartão amarelo para o zagueiro, que foi expulso.

O jogo ficou paralisado por nove minutos, período em que o camisa 22 do Grêmio partiu, enfurecido para cima do trio de arbitragem, que representantes da Conmebol conversaram com policiais militares. Quando a bola rolou, aos 49, Martínez cobrou com firmeza e decretou a virada.

Abalado, o Tricolor tentou esboçar uma pressão, o goleiro Marcelo Grohe chegou a ir para a área do River, para tentar marcar gol de cabeça, mas, em vão. Com muita chuva, o time argentino se segurou e só esperou o apito final para fazer a festa em Porto Alegre.



Ficha técnica:.

Grêmio: Marcelo Grohe; Leonardo Gomes, Geromel, Paulo Miranda (Bressan) e Cortez; Maicon (Everton), Michel, Ramiro, Cícero e Alisson; Jael (Thaciano). Técnico: Renato Gaúcho.

River Plate: Armani; Montiel, Maidana, Pinola e Casco; Ponzio (Pérez), Palacios, Quintero (Scocco) e Fernández (Martínez); Borré e Pratto. Técnico: Marcelo Gallardo.

Árbitro: Andrés Cunha (Uruguai) auxiliado pelos compatriotas Nicolás Taran e Richard Trinidad.

Gols: Leonardo Gomes (Grêmio); Borré e Martínez (River Plate).

Cartões amarelos: Paulo Miranda, Cortez, Bressan, Cícero e Marcelo Grohe (Grêmio); Pérez, Pinola e Martínez (River Plate).

Cartão vermelho: Bressan (Grêmio).

Estádio: Arena do Grêmio, em Porto Alegre.

Esporte