PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Com bronze, Fernando Scheffer dá uma boa surpresa à natação do Brasil

27/07/2021 05h16

Tóquio, 27 Jul 2021 (AFP) - O Brasil teve sua primeira alegria na piscina dos Jogos de Tóquio ao subir ao pódio nesta terça-feira nos 200 metros livres, com o bronze surpresa de Fernando Scheffer, que dividiu o pódio com os britânicos Tom Dean, ouro, e Duncan Scott, prata.

Dean completou a prova em 1:44.22, enquanto Scott fez 1:44.26 e Scheffer 1:44,66, o novo recorde sul-americano da prova.

O nadador brasileiro chegou à final com o oitavo tempo da fase classificatória. Durante a prova ele permaneceu entre os primeiros desde o início e terminou em terceiro.

"Quando caí para essa prova, não estava pensando em tempo ou colocação, só queria fazer minha prova, colocar na água tudo que treinei e nadar feliz a cada braçada, aproveitando cada metro. É uma sensação muito especial, parece que estou sonhando ainda", declarou o brasileiro ao fim da prova, em entrevista ao canal SporTV.

O grande ausente da prova foi o chinês Sun Yang, campeão olímpico na Rio-2016 e ouro nas duas últimas Copas do Mundo, que está suspenso por doping e não participa desta edição das Olimpíadas.

Com esta conquista de Scheffer, de 23 anos, o Brasil soma cinco medalhas nos Jogos de Tóquio, depois de duas pratas no skate (Kelvin Hoefler e Rayssa Leal, na modalidade street), uma de bronze no judô (Daniel Cargnin, na categoria até 66 kg) e um ouro no surfe com Ítalo Ferreira.

- Bronze nos mesmos 200m da prata de Gustavo Borges -Está é a 14ª quarta medalha brasileira na natação olímpica. As últimas haviam sido conquistadas há nove anos em Londres-2012, com a prata de Thiago Pereira nos 400 m medley e o bronze de César Cielo nos 50 m livre.

Scheffer também segue as braçadasde Gustavo Borges, que ganhou a prata nos 200 m livres em Atlanta-1996.

Esta medalha olímpica se une às duas de ouro que Scheffer conquistou nos últimos Jogos Pan-Americanos, em Lima-2019, nos 200 m livres e no revezamento 4x200m livres, além do bronze nos 400 m estilo livre.

Porém, naquele 2019 ele não passou nas semifinais da Copa do Mundo de Gwangju, na Coreia do Sul. O bronze olímpico olímpico mostra sua grande evolução.

es-cfe/ep/dif/dr/psr/lca

Esporte