PUBLICIDADE
Topo

Tênis

Investidor da Davis, Piqué sofre dificuldade para ser aceito por tenistas

Do UOL, em São Paulo

15/02/2019 08h57

Desde que embarcou no mundo do tênis, mais especificamente na Copa Davis, o zagueiro Gerard Piqué contou que a parte mais difícil é agradar os atletas da modalidade. O atual jogador do Barcelona é o fundador e presidente do grupo de investimentos Kosmos, que reformulou a competição depois de selar um acordo com a Federação Internacional de Tênis (ITF).

"Tem sido a parte mais difícil (o retorno dos atletas), não vou te enganar. Houve diversas opiniões sobre o novo formato de competição. Há tenistas que gostam disso e outros que não. Nosso objetivo é que tudo acabe perfeito em novembro", disse Piqué ao jornal "Marca".

Leia também:

A principal mudança na Copa Davis será na fase final, formada por 18 países que se enfrentarão em um evento de uma semana de duração em sede neutra, em confrontos de apenas três jogos (em vez dos cinco atuais) e em melhor de três sets, e não mais cinco.

Ex-número um do mundo, o australiano Lleyton Hewitt fez duras críticas ao zagueiro espanhol por causa das mudanças. Ele declarou que Piqué "não sabe nada sobre tênis", mas o zagueiro disse respeitar a posição do tenista.

"Eu respeito a opinião dele, porque é um tenista incrível. Eu só tenho a dizer que o Kosmos não é só o presidente, somos uma equipe. Uma equipe que conhece e entende de tênis e tem ex-jogadores como Albert Costa e Galo Blanco, que já jogaram Copa Davis e Grand Slams", disse Piqué.

Tênis