PUBLICIDADE
Topo

Uruguai é surpreendido e apenas empata contra jovem time japonês

Luis Suárez lamenta chance desperdiçada em Uruguai x Japão - Guilherme Hahn/Agif
Luis Suárez lamenta chance desperdiçada em Uruguai x Japão Imagem: Guilherme Hahn/Agif

Do UOL, em São Paulo

20/06/2019 21h57

Classificação e Jogos

Nesta quinta-feira (20). Uruguai e Japão se enfrentaram na Arena do Grêmio para guiarem seus futuros na Copa América 2019. Em um jogo bastante movimentado e equilibrado desde o início, os dois times mostraram falhas defensivas e empataram pelo placar de 2 a 2, gols de Miyoshi, duas vezes, Luis Suárez e Giménez.

Com o resultado, os uruguaios ficam muito perto da classificação, porém podem perder a liderança do Grupo C caso o Chile consiga um resultado positivo na partida diante do Equador, que acontece nesta sexta-feira, às 20h, na Arena Fonte Nova. Os japoneses, que têm praticamente toda a seleção formada por atletas com idade olímpica (apenas seis são veteranos), somam um ponto e precisarão vencer na última rodada para seguir sonhando com uma vaga nas quartas de final.

Na próxima rodada, o time uruguaio terá um difícil confronto diante do Chile, que goleou o Japão por 4 a 0 na estreia dos dois times na Copa América. O confronto será na segunda-feira, dia 24, às 20h, no estádio do Maracanã. Já os japoneses enfrentarão o Equador, também dia 24 e no mesmo horário, no estádio do Mineirão, e tentarão os três pontos para buscar uma das vagas de quartas de final no torneio continental.

VAR em ação

O VAR foi fundamental na partida, com uma intervenção que mudou o ritmo do confronto. Após o inesperado gol japonês, a equipe uruguaia mostrava dificuldade para manter a calma e buscar o gol de empate. Foi aos 32 minutos que isso mudou, quando o árbitro de vídeo entendeu que uma jogada de dividida entre o zagueiro Ueda e o atacante Cavani foi o suficiente para assinalar pênalti a favor do Uruguai, convertida por Luis Suárez.

Estreia de Arrascaeta

Depois de ter ficado de fora da partida diante do Equador, o jogador do Flamengo fez sua estreia na Copa América de 2019 logo após o segundo gol do time japonês. Com pouco tempo e em uma situação complicada, o jogador pouco conseguiu fazer para mudar o placar desfavorável e continua não sendo uma das primeiras opções ofensivas do técnico Óscar Tabárez.

Quem foi bem: Miyoshi

Miyoshi comemora um dos gols do Japão - Guilherme Hahn/Agif - Guilherme Hahn/Agif
Imagem: Guilherme Hahn/Agif

Apesar de pouco conhecido no cenário mundial, o meia japonês teve uma atuação impecável e foi fundamental para o resultado positivo da equipe japonesa. No primeiro tempo, fez uma excelente jogada individual para abrir o marcador na Arena do Grêmio, enquanto que no segundo tempo continuou bastante intenso para marcar pela segunda vez, após falha do goleiro Muslera. No final, ficou bastante cansado e foi substituído por Kubo, um dos destaques do jovem elenco japonês.

Quem foi mal: Laxalt

Apesar de ter ficado em campo pouco tempo, o lateral-esquerdo Laxalt teve uma atuação bastante comprometida nesta quinta-feira. Além de ajudar muito pouco no ataque, o jogador sentiu uma lesão logo aos 20 minutos de jogo e, antes de conseguir sair de campo, não conseguiu marcar o meia Miyoshi, que deu belo drible no defensor uruguaio para abrir o marcador em Porto Alegre.

Atuação do Uruguai

Assim como no confronto diante do Equador, na estreia da equipe nesta Copa América, o time comandado pelo experiente treinador Óscar Tabárez dominou as ações ofensivas e usou a força física e a intensidade para chegar com perigo no gol adversário. Com muitas jogadas verticais, a equipe celeste ditou o ritmo da partida, mas pecava na hora da finalização.

O sistema defensivo foi bem no jogo aéreo, mas falhava em alguns rápidos contra-ataques do Japão, principalmente pelo lado esquerdo da defesa, debilitada com a saída precoce do lateral Laxalt. No segundo tempo, o goleiro Muslera não foi bem e acabou falhando no segundo gol do time japonês.

Atuação do Japão

A proposta do time japonês foi, desde o início, se manter bem defensivamente para utilizar a velocidade dos seus atacantes e tentar furar o bloqueio dos bons zagueiros uruguaios Godín e Giménez. Apesar de poucas chances no primeiro tempo, os japoneses conseguiram abrir o placar com um belo chute de Miyoshi, um dos mais habilidosos da equipe asiática.

Mesmo após o empate, o time japonês se manteve concentrado para voltar a ficar na frente, novamente com Myoshi. No entanto, o sistema defensivo da equipe apresentava muitas falhas, principalmente no jogo aéreo, maneira como os uruguaios conseguiram chegar ao segundo gol.

História do Jogo

O time uruguaio mostrou que iria fazer de tudo para tomar conta do jogo logo no primeiro minuto, com Luis Suárez quase fazendo um golaço do meio-campo após roubar a bola no meio campo. Após o bonito chute, o Uruguai manteve o forte ritmo e dava poucas chances para os japoneses, que montavam uma forte defesa para explorar algum erro no meio campo para atacar em contra-ataque. Aos 12 minutos, o atacante do Barcelona perdeu mais uma grande chance, após rápida tabela entre Godín e Cavani, um dos mais lúcidos na partida até o momento.

No entanto, de nada adiantou a pressão uruguaia, já que o Japão abriu o marcador aos 24 minutos, após uma linda jogada do ataque japonês. Depois de conseguir a bola no campo de defesa, Tomiyasu fez um belo lançamento para Miyoshi, que partiu pra cima de Laxalt, deu belo corte para a direita e chutou forte, sem qualquer chance para o goleiro Muslera.

Depois do gol japonês, a seleção uruguai manteve a estratégia de pressionar os adversários e conseguiram o gol de empate aos 32 minutos, depois do VAR aparecer em cena e auxiliar o juiz na marcação de um pênalti, convertido por Suárez.

Na segunda etapa, mais uma bela participação de Myoshi, que aproveitou falha do goleiro uruguaio para marcar o segundo gol dos japoneses. Porém, assim como no primeiro tempo, a sensação de vitória do Japão durou pouco, com os uruguaios anotando o gol de empate pouco tempo depois - desta vez, com o zagueiro Gímenez, de cabeça.

Torcida mostra reações esporádicas

Com quase 100% do público com camisas e/ou torcendo para o Uruguai, era esperado um clima marcado pelos cantos intermináveis e forte apoio vindo das arquibancadas. No entanto, eram raros os mmentos que os torcedores mostravam empolgação com o jogo e tentavam ser um fator diferencial para a equipe celeste, que apresentava dificuldades desde o início.

O momento de maior êxtase foi quando foi tocado o hino uruguaio, com os torcedores fazendo uma bela homenagem, cantando alto e expressando forte sentimento pelo seu país na Arena do Grêmio, em Porto Alegre.

FICHA TÉCNICA
URUGUAI 2 X 2 JAPÃO

Copa América - 2° rodada
Local: Arena Grêmio, Porto Alegre (RS)
Árbitro: Andres Rojas (COL)
Assistentes: Alexander Guzman e Wilmar Navarro (COL)
VAR: Diego Haro (PER)
Cartões amarelos: Ueda e Nakajima (Japão)
Público e renda: 33.492 pagantes e 39.733 presentes e renda de R$ 6.613.630,00
Gols: JAPÃO: Miyoshi aos 24 minutos do primeiro tempo e aos 13 minutos do segundo tempo; URUGUAI: Suárez aos 32 minutos do primeiro tempo e Giménez aos 20 minutos do segundo tempo

URUGUAI: Muslera; Cáceres, Giménez, Godín, Laxalt (González); Bentancur, Torreira, Nández (Arrascaeta), Lodeiro (Valverde); Suárez e Cavani
Técnico: Óscar Tabárez

JAPÃO: Kawashima; Iwata (Tatsuta), Sugioka, N.Ueda, Tomiyasu; Iwata, Shibasaki, Nakajima, Miyoshi (Kubo); Abe (A.Ueda) e Okazaki
Técnico: Hajime Moriyasu

Esporte