Topo

Esporte


Lara (VEN) enfrenta Corinthians para "dar alegria" a uma Venezuela em crise

Elenco do Deportivo Lara (VEN) treina em CT do Palmeiras antes de jogo da Sul-Americana - Divulgação
Elenco do Deportivo Lara (VEN) treina em CT do Palmeiras antes de jogo da Sul-Americana Imagem: Divulgação

Arthur Sandes

Do UOL, em São Paulo

22/05/2019 15h06

O Deportivo Lara (VEN) enfrenta o Corinthians amanhã em uma missão quase humanitária: a equipe tenta vencer no futebol para remediar pelo menos um pouco do sofrimento do povo venezuelano, que vive crise profunda sob a ditadura de Nicolás Maduro. Os jogadores evitam falar diretamente sobre política, mas admitem que a situação é difícil e veem no duelo da Copa Sul-Americana uma oportunidade única para dar orgulho a seu país.

"O problema que o país está passando é um ponto à parte", afirma o zagueiro paraguaio Marcos Miers, separando o caos social do futebol. "Vamos jogar com a mentalidade de dar alegria ao clube, à gente que não está passando bem. Ficamos mais concentrados no clube e tratamos de fazer bem as coisas para dar alegria às pessoas, para poderem esquecer um pouco de tudo", explica.

Durante toda a entrevista coletiva, Miers e o meio-campista David Centeno trataram da crise venezuelana com certo distanciamento. "É difícil", "tem sido complicado", reconhecem, mas sempre de forma vaga, sem detalhar as dificuldades de viver e trabalhar em um país cuja inflação anual está na casa dos milhões - o que faz os preços de produtos básicos mudarem todos os dias.

Chamou a atenção a naturalidade com que a dupla tratou da viagem ao Brasil. Foram mais de 12 horas desde Caracas até o Aeroporto Internacional de Guarulhos, incluindo uma escala em Bogotá (COL). O caos estrutural da Venezuela esvazia aeroportos e impõe dificuldades de deslocamento, mas nada que impressione Centeno. "Estávamos preparados para isso, estamos acostumados e sabíamos que seria complicado", ponderou.

Quando perguntada sobre a influência da crise no futebol, a dupla do Deportivo Lara desconversou e preferiu tratar o esporte como uma saída. "É difícil, mas é preciso ver [o futebol] como válvula de escape. Para nós é uma grande partida, uma grande oportunidade. Passamos por um momento difícil, mas nós jogadores vivemos o sonho de se superar sempre, seguir crescendo, jogar no exterior... O que nos motiva é fazer algo que orgulhe nosso povo", diz David Centeno.

Amanhã, o Deportivo Lara desafia o Corinthians em Itaquera, às 19h15 (de Brasília), no jogo de ida da segunda fase da Copa Sul-Americana. "Com todos os problemas que existem, queremos dar esta alegria à Venezuela", espera o meia David Centeno.

Mais Esporte