PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Amoroso curte vida de construtor e "só come, bebe e dorme" após aposentadoria

Depois que abandonou os gramados, Amoroso (c), sempre que pode, vai em partidas beneficentes - Rivaldo Gomes/Folhapress
Depois que abandonou os gramados, Amoroso (c), sempre que pode, vai em partidas beneficentes Imagem: Rivaldo Gomes/Folhapress

Renan Prates

Do UOL, em São Paulo

10/01/2012 06h00

Nome marcado na história de São Paulo e Guarani, entre outros clubes, o ex-atacante Amoroso descartou trabalhar em qualquer lugar ligado ao futebol. Ele disse curtir trabalhar no ramo da construção civil com os familiares e até brincou com isso.

“Hoje estou comendo, bebendo e dormindo (risos). É brincadeira. Estou trabalhando no ramo da construção civil, temos uma construtora em família, estamos construindo por todo o Brasil, graças a Deus está tudo bem”, celebrou o ex-atleta de 37 anos.

No fim da carreira, Amoroso trabalhou como comentarista em emissoras de TV, mas não levou para frente este ofício. E, pelo visto, não quer mudar de ideia. “Vou ficar quietinho no meu ramo que está bom demais (risos)”.

Depois que abandonou os gramados (em 2010 pelo Guarani), Amoroso disputou partidas de showbol e, sempre que pode, está presente em partidas beneficentes. No último Jogo das Estrelas, festa anual promovida pelo ex-flamenguista Zico, ele mostrou que não esqueceu de jogar bola e pareceu ainda ter preparo físico.

Mas Amoroso não se mostrou nem um pouco empolgado em voltar a jogar. “Não cara, a minha época já passou. Acho que agora a gente tem que bater palma pros talentos que estão surgindo. O que eu pude fazer no futebol, eu fiz. Tenho só que agradecer a Deus a oportunidade que ele me deu pra conquistar o que eu conquistei e poder jogar até onde eu achei que podia jogar”.

Revelado pelo Guarani, Amoroso conquistou inúmeros títulos na carreira, dentre eles o Mundial de Clubes da Fifa em 2005 pelo São Paulo. Ele sofreu com muitas contusões chegou até a ensaiar aposentadoria, mas voltou para defender as cores do Bugre, onde acabou encerrando a carreira aos 36 anos.

O ex-jogador aproveitou a oportunidade para mostrar o seu descontentamento com o time que o revelou. “É lamentável, porque é um clube que tem condição de revelar grandes atletas, atacantes, zagueiros, meio campistas. A gente fica triste porque infelizmente as últimas revelações do Guarani foram Amoroso e Luizão [no início da década de 90], que saíram e se consagraram [em outros clubes]”.

Esporte