PUBLICIDADE
Topo

Notícias em primeira mão dos bastidores do futebol, informações exclusivas sobre o seu time, novidades do mercado da bola e o melhor do jornalismo esportivo em um só lugar. Só para assinantes UOL!

CBF só acionou a Fifa nove dias após saber de problema com "lista B"

Edu Gaspar concede entrevista coletiva na Granja Comary; erro administrativo pode comprometer a rodada do Brasileirão - Pedro Martins / MoWA Press
Edu Gaspar concede entrevista coletiva na Granja Comary; erro administrativo pode comprometer a rodada do Brasileirão
Imagem: Pedro Martins / MoWA Press

Do UOL, em São Paulo

25/05/2018 04h00

Além de ter perdido o prazo para solicitar alteração na data limite para que os 12 suplentes da lista 35 convocados possam atuar em seus respectivos times, a CBF demorou a consultar a Fifa diretamente na busca por uma solução para o impasse. Ao tomar ciência do problema após a convocação do último 14, a entidade procurou a Conmebol e, por meio da confederação sul-americana, tentava resolver o caso com a entidade internacional. Nenhuma solução se apresentou. Somente na última quarta-feira (23), em um e-mail, os cartolas procuraram diretamente a autoridade máxima do futebol.

A mensagem endereçada à senegalesa Fatma Samoura, secretária-geral da Fifa, era a última tentativa de resolver o imbróglio. Sem procurar a federação internacional diretamente anteriormente, a CBF não conseguiu uma resposta que liberasse, por exemplo, o atacante Dudu, do Palmeiras, que desfalcou o time na última quarta por “segurança jurídica”. A cúpula da confederação ainda acredita em uma resposta positiva que libere os jogadores da lista B, os 12 suplentes que completam a convocação principal, para atuarem na rodada do próximo fim de semana do Brasileiro. A demora na comunicação, no entanto, atrasou a definição. (Por Danilo Lavieri, Dassler Marques e Pedro Ivo Almeida)

Seleção: CBF apreende drone com recado para Neymar

Um drone chamou a atenção no treino da seleção brasileira na última quinta-feira, o primeiro com bola de Neymar e companhia. Carregando uma bandeira do Brasil e uma carta, o objeto foi enviado por um torcedor que pedia ainda um autógrafo de Neymar.

O fã, no entanto, ficou sem a sonhada lembrança do craque e sem seu drone. Recolhido pelo analista de desempenho Fernando Lázaro, o aparelho foi apreendido pela CBF e será entregue às autoridades nesta sexta (25). (Por Danilo Lavieri, Dassler Marques e Pedro Ivo Almeida)

Seleção: CBF monitora greve, mas mantém logística da Copa

A CBF tem monitorado a greve dos caminhoneiros para saber se precisará alterar a logística da seleção brasileira no caminho da Copa. Por enquanto, o cronograma do time não sofrerá alterações e a ida para Londres está mantida para ocorrer no domingo. As notícias de falta de combustível para aeronaves ainda não preocupam a entidade, que fretou um avião para a delegação deixar o Rio de Janeiro após uma semana de trabalhos na Granja Comary. A CBF também tem se atualizado sobre o caos para decidir sobre um possível adiamento da rodada de fim de semana do Campeonato Brasileiro. Por enquanto, os jogos estão mantidos. No Rio de Janeiro, a federação estadual já divulgou que os seus campeonatos foram adiados. (Por Danilo Lavieri, Dassler Marques e Pedro Ivo Almeida)

Seleção: Jovem que “completou” time evitou apelido de Robinho

Com o elenco ainda incompleto, Tite usou o jovem vascaíno Lucas Santos, de 19 anos, para completar o time no treino da última quinta. Curiosamente, o jogador do sub-20 cruzmaltino ficou marcado por ter “dispensado” o apelido de Robinho. O pedido para a mudança partiu do jovem. Oficialmente, a ideia era evitar comparações com o atacante de passagem marcante na seleção brasileira. A mudança, no entanto, ocorreu na mesma época que Robinho foi denunciado por crime de violência sexual na Itália. Alheio à questão, Lucas aproveitou a chance para postar uma foto ao lado dos ídolos Neymar e Gabriel Jesus. (Por Bruno Braz)

São Paulo: Tombamento do Morumbi exigirá "capricho" em obras

O estádio do Morumbi foi tombado, inicialmente, em 2004. Em março deste ano, o tombamento foi "reafirmado", seguindo as novas diretrizes do Plano Diretor de São Paulo, instaurado em 2014, em um movimento de preservação das obras do arquiteto Vilanova Artigas. Por isso, qualquer modificação que a diretoria do São Paulo planeje fazer no Morumbi precisa passar por um filtro mais cuidadoso do que simplesmente uma liberação da prefeitura. Uma comissão de arquitetos tem de analisar as ideias do Tricolor, apontar se há compatibilidade com o projeto e o estilo de Artigas e só então aprovar as reformas. Isso passa pelo Departamento de Patrimônio Histórico (DPH), ligado ao Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (Conpresp). O objetivo não é limitar reformas ou deixar construções paradas no tempo, mas sim evitar que obras históricas como o Morumbi se desfigurem.  Se o projeto do São Paulo, que pensa em fazer usina de energia nas arquibancadas e transformar os vestiários neste ano, for adequado, os órgãos asseguram que nenhum obstáculo será colocado. (Por Bruno Grossi)

Cruzeiro: Indeciso sobre valor, só libera Arrascaeta por multa

Mesmo que necessite de uma grande venda para fazer caixa em 2018, o Cruzeiro não quer liberar Arrascaeta tão facilmente após a Copa do Mundo. Os mineiros não aceitam se desfazer do camisa 10 por um número inferior à multa na próxima janela. Só que o próprio clube bate cabeça sobre este valor. Após a renovação, foi divulgado que seria de 30 milhões de euros (R$ 128,3 mi). Nesta quinta, no entanto, o clube mudou a versão, apontando uma multa de 80 milhões de euros (R$ 341 mi) para o exterior e R$ 300 milhões para o Brasil. A ideia é brecar o assédio de Monaco e Wolverhampton para mantê-lo no elenco durante a Libertadores. Por outro lado, o time está disposto a negociá-lo ao fim do ano por um montante inferior ao imposto em cláusula. A atual diretoria já chegou a dizer que aceitaria 15 milhões de euros (R$ 64,1 mi) pelo atleta. (Por Thiago Fernandes)

Nova regra que prevê rescisão por atraso valerá em junho

Modificações no Regulamento de Status e Transferência de Jogadores da Fifa entrarão em vigor no próximo dia 1º de junho. A partir desta data, atletas poderão pedir a entidade a rescisão de seus contratos após dois meses de salários atrasados – para isso, devem notificar o clube por escrito e conceder prazo de até 15 dias para pagamentos. A medida pode afetar o futebol brasileiro, já que o prazo é inferior ao de três meses de atrasos utilizados como praxe na Justiça do Trabalho e previstos na Lei Pelé – há divergência entre especialistas em direito esportivo se as regras novas da Fifa prevalecem sobre a legislação brasileira ou não. A nova regra também prevê punições a clubes e jogadores que deixem de saldar suas dívidas depois de terem seus casos julgados na Fifa: as agremiações podem ser impedidas de registrar jogadores até que realizem os pagamentos, e os atletas podem ser impedidos de jogar, também até que paguem as dívidas. (Por Pedro Lopes)