PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Barrichello revela amnésia e diz que não se lembra de funeral de Senna

Eder Chiodetto/Folha Imagem
Imagem: Eder Chiodetto/Folha Imagem

Do UOL, em São Paulo

25/04/2016 09h07

A cena é conhecida: Rubens Barrichello, ao lado de outros nomes como Alain Prost e Emerson Fittipaldi, carregam o caixão de Ayrton Senna em seu enterro, em maio de 1994. Porém, para Rubinho, a cena só existe em fotos: devido à batida que ele mesmo sofreu dois dias antes da morte do ídolo, o ex-piloto da F-1 diz que não se lembra de nada.

"Eu não lembro da minha porrada em Ímola", disse Barrichello, que bateu forte na sexta-feira de treinos livres. "Entrei pra dentro da cerca, aquilo foi uma total irresponsabilidade de tentar entrar de pé embaixo de um adolescente-homem de 20 anos, querendo entrar na F-1 e marcar seu nome", reconheceu, em entrevista à Fox Sports. "Eu achava que dava e tentei. Meu carro não sustentou fisicamente aquilo que eu achei que era possível. E foi uma porrada."

O acidente não lhe trouxe consequências mais graves, mas trouxe um ‘buraco’ em sua memória. "Voltei a São Paulo, morreu o Ayrton e até nisso papai do céu foi bom comigo, porque eu tive uma certa amnésia. Por um mês eu esqueci muitas coisas. Eu não lembro de carregar o caixão do Ayrton. Não lembro. Eu vejo em fotos, mas não lembro."

Barrichello revelou ainda que duvidou de si mesmo após o acidente e só teve certeza de que sua carreira seguiria normalmente após voltar ao carro e não sentir medo.

"Lembro de me perguntar depois: 'e agora? Você vai ter medo de entrar em um carro? Ah, você não vai ter medo, não é?'"

"Daí o que eu coloquei na cabeça: vou entrar e na minha primeira volta eu vou ser um maníaco. Vou para dar outra porrada do mesmo nível ou vou bater meu recorde pessoal da pista. E graças a Deus eu bati meu recorde pessoal da pista. Foi quando decidi que era isso que queria."

Fórmula 1