PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Equipe de F1 foi vendida por menos de R$ 5. E não escapou da falência

Romeno comprou Caterham por 1 libra, mas não teve como quitar débitos - Darko Vojinovic/AP
Romeno comprou Caterham por 1 libra, mas não teve como quitar débitos Imagem: Darko Vojinovic/AP

Do UOL, em São Paulo

02/12/2014 19h33

Os administradores legais da Caterham procuram interessados que possam comprar a equipe ainda em dezembro e que evitem seu fechamento. No entanto, a história poderia ser diferente se uma bizarra negociação anterior da escuderia tivesse se concretizado.

Segundo a revista Forbes, a Caterham foi vendida por 1 libra (pouco mais de R$ 4) entre setembro e outubro. A informação consta em documentos aos quais a publicação afirma ter tido acesso.

Em 20 de outubro, a Caterham foi à falência, o que acabou provocando sua ausência em duas etapas da temporada da Fórmula 1: Estados Unidos e Brasil. Sob administração legal, a equipe conseguiu arrecadar 2,35 milhões de libras (cerca de R$ 10 milhões) em uma vaquinha virtual, a tempo de disputar o Grande Prêmio de Abu Dhabi que encerrou a temporada 2014 da categoria.

No entanto, segundo os documentos citados pela revista, a Caterham esteve próxima de mudar de mãos. Na ocasião, o romeno Constantin Cojocar pagou 1 libra pela equipe, que se encontrava em uma situação inusitada: o antigo dono, Tony Fernandes, dizia tê-la vendido para um grupo de investidores, que afirmava ainda não ter recebido as ações. No momento, a Caterham não tinha dono.

Neste intervalo “sem dono” da Caterham, uma empresa chamada Caterham Sports (subsidiária da escuderia) detinha parte das ações da Caterham F1. Em 23 de setembro, de forma pouco clara, a empresa anunciou como novo diretor administrativo o próprio Constantin Cojocar, então faxineiro da fábrica da equipe na Inglaterra.

”Eu comprei esta empresa em 24 de setembro de 2014 por 1 libra. Sou agora o único acionista e o diretor da companhia”, diz Cojocar no documento citado pela revista.

O romeno é nome recorrente nos boatos envolvendo a venda da Caterham. Em 29 de outubro, uma fonte citada pelo jornal The Independent afirmou que o projeto de Cojocar era adquirir a equipe para revendê-la à Forza Rossa, equipe de Fórmula 1 da Romênia que recebeu o aval da FIA e da Formula One Management (FOM) para estrear na categoria em 2015.

Entretanto, a Caterham Sports recuou na investida diante de denúncias na Inglaterra. Segundo o jornal Daily Telegraph, a empresa não teria como quitar os 16,2 milhões de libras (mais de R$ 65 milhões) em dívidas contraídas pela Caterham. Ainda sem dono, o time foi entregue pela justiça britânica a administradores legais em outubro.

Fórmula 1