Topo

Antes cotada a vice de Haddad, Marina lança pré-candidatura à Câmara por SP

A ex-ministra Marina Silva (Rede) Imagem: Lucas Lima/UOL

Lucas Borges Teixeira

Do UOL, em São Paulo

29/06/2022 12h14

A ex-ministra Marina Silva (Rede) confirmou, hoje, que é pré-candidata à Câmara dos Deputados por São Paulo. Ela era cotada para ser vice na chapa do ex-prefeito Fernando Haddad (PT) ao governo de São Paulo, mas deverá atuar como puxadora de votos pelo partido que ajudou a fundar.

O lançamento da pré-candidatura ocorrerá oficialmente no próximo sábado (2), ao lado da deputada estadual Marina Helou (Rede-SP).

Rompida com o PT desde 2014, Marina Silva tem sido cobiçada também pela campanha nacional do partido, para uma reaproximação com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), com quem compôs governo por cinco anos.

"Considero que, assim, posso colaborar com o objetivo estratégico de mobilizar o Brasil para o grande desafio da reconstrução e construção de políticas públicas capazes de enfrentar o crescimento intolerável das desigualdades, recuperar a economia em bases sustentáveis e preparar o estado e o país para a urgente transição necessária para nos adaptarmos às mudanças climáticas", disse a ex-ministra em suas redes sociais.

O principal plano da Rede é crescer sua base na Câmara.

Fundado em 2013 por Marina, o partido tem enfrentado dificuldades para se estabilizar, com apenas dois deputados federais e um senador. O plano, agora, é aumentar o número de parlamentares, com puxadores de votos como Marina Silva em São Paulo e a ex-senadora Heloísa Helena (Rede) no Rio de Janeiro.

Isso também fez o partido se reaproximar do PT. Nacionalmente, a integração da Rede à aliança em torno de Lula foi iniciativa do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), um dos coordenadores da campanha. Em São Paulo, a união com Haddad se deu por meio da própria Marina.

O nome de Marina Silva como integrante da chapa petista ao Palácio dos Bandeirantes passou a ser ventilado no meio de junho, quando o partido oficializou o apoio a Haddad em um evento em São Paulo com a presença da ex-senadora - algo que não aconteceu no evento de Lula.

A pessoas próximas, Haddad dizia que a ex-ministra seria a "vice dos sonhos", conforme revelou o jornal O Estado de S.Paulo, por seu importante papel como liderança ambiental e por também aproximar o eleitor de centro.

A união, no entanto, ainda passaria por entraves com o PSB e o PSOL, dois dos principais apoiadores da candidatura, que esperam compor os outros dois cargos majoritários.

Reaproximação com Lula

Apesar de ter integrado a campanha petista em São Paulo, Marina ainda não oficializou seu apoio a Lula, mas diz estar aberta a conversas.

Lula tem buscado a reaproximação e elogiado a gestão de Marina Silva como ministra do Meio Ambiente, entre 2003 e 2008. Marina rachou definitivamente com o PT durante a disputa eleitoral de 2014 após as investidas das propagandas da campanha de Dilma Rousseff (PT) contra ela. Fora do segundo turno, apoiou Aécio Neves (PSDB) e cortou de vez os laços com o governo.

Marina ainda se mostrava resistente com a declaração de apoio. Ela não foi ao evento em que a Rede, partido que ajudou a criar, decidiu entrar na aliança em torno de Lula e evitava falar sobre o assunto.

Agora, o quadro parece mudar. À imprensa, Randolfe disse que, embora a ex-ministra não tenha participado formalmente na construção das diretrizes do programa, toda a parte de meio ambiente e desenvolvimento sustentável foi baseada nos anos de Marina no governo.

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Antes cotada a vice de Haddad, Marina lança pré-candidatura à Câmara por SP - UOL

Obs: Link e título da página são enviados automaticamente ao UOL


Eleições 2022