PUBLICIDADE
Topo

Como um VW Gol SR, o mais raro de todos, voltou para "casa" após 34 anos

Rodrigo Mora

O blog Mora nos Clássicos contará as grandes histórias sobre as pessoas e os carros do universo antigomobilista. Nesse percurso, visitará museus, eventos e encontros de automóveis antigos - com um pouco de sorte, dirigirá alguns deles também.

Colunista do UOL

28/08/2020 06h00

(SÃO PAULO) - Para turbinar as vendas de seus televisores durante a Copa do Mundo de 1986, realizada no México, a Philips decidiu sortear o carro mais óbvio quando se associa o universo automotivo ao futebolístico. "Quem compra aparelhos Philips garante o seu Gol no Mundial 86", dizia o slogan da promoção que teve Jô Soares como garoto-propaganda.

Não era um Gol comum. Baseado na versão BX, aquela com motor a ar herdado do Fusca, recebia um kit estético criado pela Souza Ramos, a maior produtora de foras de série nacionais nos anos 1980 e 1990. Na condição de concessionária Ford, concentrava suas personalizações em modelos da marca - como o Del Rey conversível e o Maverick perua, por exemplo. O Volkswagen Gol SR era exceção.

Jô SR - Divulgação  - Divulgação
Imagem: Divulgação

Fundada em 1979 por Eduardo Souza Ramos, a SR Veículos Especiais se enveredou por um nicho de mercado peculiar: com as importações barradas entre 1976 e 1990, muitas empresas personalizavam veículos nacionais para fisgar clientes com algo minimamente exclusivo. Daí nasceram marcas como a Engerauto, Envemo, Brasinca e a própria SR, entre outras.

As transformações partiam de kits (para-choques, faróis, spoilers) adaptados à estética original dos carros. Mas às vezes iam além: em 1980, a SR criou o Corcel Hatch, que da coluna B para trás apresentava silhueta exclusiva, assinada pelo renomado designer Anísio Campos. Faróis duplos na frente também se destacavam do modelo original.

Corcel hatch  - Divulgação  - Divulgação
Imagem: Divulgação

Pouco depois começou a investir nas picapes de cabine dupla, baseadas na Ford F-1000, e se tornou referência no tema. Muitos devem se lembrar inclusive da Ibiza, uma van com capacidade para até 12 passageiros, que viajavam em poltronas individuais.

Com a abertura das importações, a SR foi vendida e logo desapareceu.

E os outros 52?

Foram sorteados 53 exemplares do Gol SR na promoção da Philips. Se diferenciavam com faróis duplos, spoilers dianteiro e traseiro, faixas laterais e o símbolo da SR na grade frontal. Trata-se de uma versão raríssima, desconhecida até.

Gol SR - Século XX/Divulgação  - Século XX/Divulgação
Gol SR ainda no showroom da Século XX
Imagem: Século XX/Divulgação

Tanto que o único sobrevivente conhecido é o carro que pertencera ao produtor de eventos Gláucio Pires. "Como gosto de carros antigos, vivo fuçando na internet. Até que um dia, há cerca de quatro anos, achei um cara no Paraná cujo tio havia sido um dos sorteados e que agora era o dono do Gol. Começamos a negociar até que fechamos por R$ 9 mil", relembra.

Sem noção da raridade que tinha em mãos, Pires começou a retocar detalhes, como as peças de fibra que compunham os diferenciais estéticos. "O que deu mais trabalho foi achar alguém que mexesse nisso. Acabei descobrindo um cara que pintava capacetes que topou reconstituir as peças", conta.

Ao pesquisar sobre as cores originais do kit, descobriu a história do modelo e se deu conta de que era dono de um praticamente extinto Gol SR.

O bom filho a casa torna

Recentemente, Pires resolveu vender alguns de seus clássicos. Entre eles o SR, que mal estacionou na Século XX Veículos de Coleção e já foi embora. "Postei o vídeo e não deu cinco minutos: um cliente ligou para um amigo da Souza Ramos, que me chamou e fechamos negócio", conta Alemão, dono da loja estabelecida em Santo André (SP).

Neste momento, o carro está guardado em um galpão no Autódromo Velo Città, em Mogi Guaçu (SP), que pertence a Eduardo Souza Ramos. Ao seu lado, outras relíquias com a assinatura da SR, como Ibiza, Deserter e Escort JPS.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL