PUBLICIDADE
Topo

CarnaUOL

São Paulo


Modelo que mostrou o ânus na TV já criticou Anitta e pediu Fora Bolsonaro

Ju Isen ficou famosa ao ser exposta sem querer - Reprodução/ Instagram
Ju Isen ficou famosa ao ser exposta sem querer Imagem: Reprodução/ Instagram

Do UOL, em São Paulo

22/04/2022 14h55

Ju Isen chamou a atenção de todo o Brasil durante o Carnaval de 2017, quando, pintada toda de verde, acabou mostrando demais durante uma entrevista à RedeTV. À época, a modelo teve seu ânus mostrado ao vivo e acabou se tornando um meme nacional.

Obrigada a lidar com a repercussão do evento, Ju Isen recebeu diversas críticas e foi taxada com alguém que faria de tudo apenas para aparecer - inclusive mostrar até demais para as câmeras. Ela lidou com depressão depois do ocorrido. O julgamento do público entristeceu a modelo, que se revoltou quando, anos depois, Anitta recebeu um tratamento bastante diferente das redes sociais.

Em 2021, Anitta mostrou em seu Only Fans um vídeo no qual revelava ter uma tatuagem íntima feita no ânus e, em entrevista ao jornal O Dia, Isen disse: "Eu confiei na palavra do artista e dispensei o tapa-sexo. Não deu muito certo e eu acabei mostrando demais. Mostrei as minhas partes íntimas. Na época, todo mundo me acusou de ter feito de propósito para me exibir. E a Anitta? O que ela fez? Ninguém criticou, né?."

Ela continuou e comentou sobre o tratamento que a cantora recebeu ao expor o vídeo da tatuagem: "Fui linchada e Anitta recebeu aplausos por expor a tatuagem anal. São dois pesos e duas medidas. Recebi tantos xingamentos, que quase entrei em depressão. Hoje, me sinto melhor, mas é uma situação que me incomoda bastante por ser sempre lembrada."

E esta não foi a primeira vez que Ju Isen não se preocupou em mostrar sua opinião: meses depois, em setembro de 2021, a musa, que estava morando nos Estados Unidos, foi até a Casa Branca para protestar contra a presença de Jair Bolsonaro (PL) em uma reunião da ONU. "Ele não tem o direito de estar aqui discutindo com a ONU assuntos que ele não dá a mínima", disse.

No entanto, este posicionamento é divergente do seu voto, que foi declarado em Bolsonaro, em 2018. À época, ela era contra o governo do PT e, quando Dilma Rousseff foi afastada do cargo de Presidente da República, em 2016, a Ju Isen foi tida como "musa do impeachment" ao tirar a camiseta e mostrar os seios em uma manifestação contra o Partido dos Trabalhadores na avenida Paulista, centro de SP.

Em 2020, com alguns escândalos de Bolsonaro aparecendo, Isen se pronunciou: "No fim, todo mundo se prostitui um pouco", disse em entrevista ao UOL.

Decepção

A modelo, que já passou por mais de 40 cirurgias e posou para a Playboy de Portugal e da Espanha, não desfilará no Carnaval 2022, porque, segundo conta, tem medo da covid-19 e precisa cuidar da sua avó de 90 anos. No entanto, em 2020, ela disse ao UOL que tem um "profundo desapreço pelo Carnaval".

Em 2016, ela passou pelo primeiro trauma envolvendo o evento, quando foi expulsa da escola Unidos do Peruche porque não a deixaram desfilar com um tapa sexo com o rosto da então presidente Dilma Rousseff e um "x" por cima. A escola ofereceu um macacão que ela odiou, então decidiu atravessar a avenida pelada.

Depois, veio a fatídica exposição na RedeTV, "Eu era muito despreparada. Na entrevista com a [apresentadora] Leo Áquila , ela pediu que eu me abaixasse para mostrar a pintura, eu me abaixei; depois, pediu para eu repetir, só que virada de costas para a câmera. Eu me abaixei, na maior inocência", contou.

Segundo disse ao UOL, o problema foi o "péssimo acabamento da pintura" que tinha em seu corpo: "Ele simplesmente não pintou o orifício, e o cinegrafista foi direto ali. Como eu ia saber, se não tenho olho atrás? Depois me disseram que o cara não era pintor nem artista plástico, era baterista. Nem escreveu o 'Ordem e Progresso' no meu peito!".