PUBLICIDADE
Topo

Nvidia e Volvo aceleram corrida por processamento de dados na indústria automotiva

12/04/2021 17h13

Por Joseph White

DETROIT, Estados Unidos (Reuters) - A Volvo disse nesta segunda-feira que vai usar uma nova geração de microprocessadores da Nvidia para permitir a execução de novas tarefas por veículos autônomos no futuro.

A Volvo integra um grupo de montadoras de veículos que está colocando o poder de processamento digital na frente dos cavalos de força em uma tendência fomentada por novas tecnologias que incluem redes 5G, direção autônoma e eletrificação.

Para a Nvidia, o acordo com a Volvo, acertado após um acordo similar assinado com a startup de carros elétricos Faraday Future, e outros a serem definidos nas próximas semanas, marcam o renascimento da divisão de produtos automotivos da companhia.

"A carteira de encomendas da Nvidia cresceu em muitos bilhões de dólares", disse Danny Shapiro, diretor automotivo da Nvidia, a jornalistas antes nesta segunda-feira. Em 2020, a receita da divisão automotiva recuou 23%.

A Volvo, controlada apela chinesa Geely, afirmou que usará o novo sistema Drive Orin, da Nvidia, que tem muito mais poder de processamento que os atuais chips da empresa usados em veículos Volvo. A aplicação se dará na próxima geração do utilitário esportivo (SUV) XC90 a ser lançado em 2022.

Em um aceno à Tesla, a Volvo afirmou que os veículos equipados com o Nvidia Orin estarão aptos para uso de recursos de direção autônoma que serão ativados via download de software "quando for verificado que é seguro para as condições geográficas do indivíduo".

A Faraday Future afirmou que vai oferecer direção autônoma para estacionamento e um recurso de "convocar" o veículo. Os recursos vão equipar o modelo FF 91 a ser lançado em 2022. A Tesla já oferece o recurso de "convocação", que permite que um carro dirija sozinho ao receber comando do dono.

A Nvidia também anunciou nesta segunda-feira que está desenvolvendo um novo sistema de computador de bordo a ser inserido no chip Atlan. O sistema dará ao carro poder de processamento atualmente disponível em centrais de processamento de dados. O processador está disponível para equipar veículos a partir de 2025, informou a companhia.

((Tradução Redação São Paulo, 55 11 56447753)) REUTERS AAJ AAP