Topo

Blizzard reduz punição de jogador envolvendo protestos em Hong Kong após controvérsia

14/10/2019 09h27

Por Brenda Goh e Pei Li

XANGAI/PEQUIM (Reuters) - A Blizzard Entertainment reduziu a punição que deu a um jogador do e-sport Hearthstone de Hong Kong por seu apoio público aos protestos pró-democracia na cidade, após sua decisão ter gerado controvérsia entre jogadores e público.

A produtora de jogos dos EUA, uma subsidiária da Activision Blizzard, disse na semana passada que iria suspender o jogador Chung "blitzchung" Ng Wai da competição por um ano e retirar um prêmio em dinheiro depois que ele pediu a libertação de Hong Kong em uma entrevista após o jogo.

A decisão fez a empresa se tornar a mais recente a ficar presa nas tensões relacionadas aos protestos de Hong Kong, conquistando seu apoio na China, mas também atraindo críticas de fãs, jogadores e comentaristas do Ocidente, alguns dos quais disseram que deixarão de trabalhar com a Blizzard como resultado de sua decisão.

No entanto, no sábado, a Blizzard disse que tinha decidido reduzir sua punição para uma suspensão de seis meses e ainda lhe daria seu prêmio em dinheiro, com o presidente J. Allen Brack dizendo que a empresa tinha "reagido muito rapidamente" ao tomar sua decisão.

Brack disse que Chung ainda tinha que ser penalizado por ter violado as regras, mas que suas opiniões específicas não foram um fator na decisão.

"Quero ser claro: nossos relacionamentos na China não tiveram influência na nossa decisão", disse ele em um post no blog da Blizzard.

Chung disse em uma declaração publicada no Twitter que aceitou a decisão da Blizzard e que expressará suas opiniões em suas plataformas pessoais no futuro, mas pediu que a empresa reconsiderasse sua decisão de penalizar dois comentaristas no torneio onde ele fez seus comentários.

Tilt