PUBLICIDADE
Topo

Secretário estadual de Transportes do Rio diz que Uber é ilegal

Os taxistas argumentam que o serviço oferecido pelo Uber é ilegal e clandestino  - José Lucena/Futura Press/Estadão Conteúdo
Os taxistas argumentam que o serviço oferecido pelo Uber é ilegal e clandestino Imagem: José Lucena/Futura Press/Estadão Conteúdo

Do UOL, no Rio

24/07/2015 14h13

O secretário estadual de Transportes do Rio de Janeiro, Carlos Roberto Osorio (PMDB), declarou nesta sexta-feira (24) apoio ao protestos feitos por taxistas em diversas localidades da cidade contra o aplicativo Uber que conecta motoristas autônomos e usuários. Para ele, o serviço é ilegal e os motoristas cadastrados no aplicativo deverão ser multados.

"Temos que parabenizar a categoria por ter organizado uma manifestação totalmente regular, de acordo com as autoridades municipais e minimizando o impacto no trânsito", disse o secretário, acrescentado que “a posição do Estado é muito clara: transporte individual de passageiros por cobrança, pela nossa legislação, só pode ser feito por veículos licenciados nos nossos municípios. O governo do Estado está à disposição de todas as cidades para fazer valer a lei."

O secretário observou que o Detro (Departamento de Transportes Rodoviários do Rio de Janeiro) fará a fiscalização desses veículos. “Nesse mês de julho nos já apreendemos 34 carros particulares fazendo serviço irregular de passageiros. Na democracia existem duas coisas: ou se cumpre a lei ou a altera. Hoje a lei está valendo.”

Os taxistas argumentam que o serviço oferecido pelo Uber é ilegal e clandestino e, em São Paulo, chegaram a pedir a suspensão do funcionamento do aplicativo, que foi negada pela Justiça.

O taxista Ismael Almeida que exerce a profissão há cinco anos, morador de Belo Horizonte, disse que está presente no protesto pelo orgulho de ser taxista. “Percorri mais de 500 quilômetros pelo orgulho de ser taxista. A nossa luta lá é a mesma que esta aqui. Nós somos legalizados, portanto, não somos bandidos. Se eles não são legalizados estão contra a lei e devem ser punidos por isso”. Ismael finalizou dizendo que, por conta do aplicativo, o prejuízo é cerca de 35 % do faturamento mensal e que até conflitos entre os próprios taxistas tem ocorrido devido à escassez de corridas.

O empresário Edson Dias usuário de táxis há 32 anos, concorda com a posição do secretário de Transportes, porém acha que a ideia do aplicativo pode ser útil. “Outras alternativas são interessantes sim, afinal  se você for ver no horário de pico não se consegue pegar um táxi aqui no Rio”.

Em resposta ao protesto dos taxistas, a Uber está oferecendo duas viagens de menos de R$ 50 gratuitamente no Rio de Janeiro nesta sexta-feira, até as 19h. "Sabemos que hoje será um dia complicado para locomoção e, para não deixar os cariocas sem opção, todos poderão utilizar a Uber para qualquer lugar da cidade gratuitamente", diz o texto da promoção.

Em nota, a Uber defende que "os usuários têm o direito de escolher o modo que desejam se movimentar pela cidade" e que o serviço gera "novas oportunidades de negócio para milhares de motoristas parceiros e ao mesmo tempo oferecer novas opções de mobilidade urbana."

Ato em Minas Gerais

Em Minas Gerais, mais de 800 taxistas estão circulando pelo Estado com fitas pretas amarradas ou no retrovisor ou na antena em protesto a atuação do Uber, segundo o Sincavir-MG (Sindicato Intermunicipal dos Condutores Autônomos de Veículos Rodoviários, Taxistas e Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens de Minas Gerais).

A categoria é contrária ao aplicativo de caronas por considerar a concorrência desleal. Em resposta ao movimento dos taxistas, o Uber está presenteando os usuários com um picolé. A promoção é válida apenas para esta sexta-feira (24), das 11h às 17h.

O #UberIceCream acontece pela primeira vez na capital mineira e é feita em parceria com uma marca de sorvetes local Easy Ice.(Com Agência Brasil)