PUBLICIDADE
Topo

G Flex usa tela curva como chamariz para brigar com smartphones de ponta

Smartphone LG G Flex tem tela curva; aparelho chega ao Brasil custando R$ 2.700 (desbloqueado) - Guilherme Tagiaroli/UOL
Smartphone LG G Flex tem tela curva; aparelho chega ao Brasil custando R$ 2.700 (desbloqueado) Imagem: Guilherme Tagiaroli/UOL

Guilherme Tagiaroli

Do UOL, em São Paulo

21/04/2014 06h01

O G Flex é um dos projetos mais ousados já feitos pela LG em função do formato curvo do corpo do smartphone – o primeiro do tipo comercializado no mercado. O aparelho, que estreou para brigar com Samsung Galaxy S5 e outros modelos top de linha, chegou ao Brasil no fim de abril com valor sugerido de R$ 2.700 (desbloqueado). Trata-se, portanto, de um dos smartphones mais caros do país.

Apesar do design inovador e tela realmente impressionante (especialmente por causa do brilho), o software não segue essa mesma linha de inovação: trata-se de um cumpridor Android 4.2 (Jelly Bean), com modificações da fabricante sul-coreana.

Durante os testes, o sistema não engasgou ao rodar programas ou fechou aplicativos repentinamente. No entanto, ainda deixa a desejar quanto à experiência.

LG G Flex

  • Processador

    Qualcomm Snapdragon quad-core de 2,2 GHz

  • Tela

    Curva de 6 polegadas Poled (1280x720) com 16 mi de cores

  • Armazenamento

    32 GB

  • Câmeras

    13 megapixels (traseira) e 2,1 megapixels (frontal)

  • Dimensões

    160,5 x 81,6 x 8,7 mm (A X L x P)

  • Conectividade

    Wi-Fi, 3G e 4G

  • Pontos positivos

    Tem design inovador, recuso de autocura e é bom para assistir vídeos

  • Pontos negativos

    Sistema é sólido, mas deixa a desejar; câmera poderia ser mais caprichada

Suas cinco áreas de trabalho podem complicar a organização de aplicativos, e a loja de aplicativos Smartworld (da LG) tem opções importantes de aplicativos, porém o Phone Safe (que promete proteger o aparelho em caso de roubo), desenvolvido pela própria fabricante, só está disponível em coreano. Na dúvida, é melhor apostar nos apps do Google Play.

Entre as funcionalidades de fábrica que merecem destaque estão a QSlide (permite rodar alguns aplicativo simultaneamente) e a Quick Remote (transforma o aparelho em um controle remoto universal de eletrônicos, mesmo de outras marcas).

Hardware

Nas configurações, o aparelho faz bonito. Tem processador Qualcomm Snapdragon quad-core (quatro núcleos) de 2,2 GHz, 2 GB de memória RAM, 32 GB para armazenamento e um conjunto de câmeras de 13 megapixels (traseira) e 2,1 megapixels (frontal).

Ele também se sai bem no visual, com formato curvo bonito e chamativo. Some a isso a tela de 6 polegadas com resolução HD (alta resolução) e você terá gosto de assistir a vídeos no dispositivo.

Smartphone G Flex, da LG, tem tela curva de 6 polegadas; aparelho é o 1º com esse tipo de display - Guilherme Tagiaroli/UOL - Guilherme Tagiaroli/UOL
G Flex, da LG, tem tela curva de 6''; aparelho é o 1º com esse tipo de display
Imagem: Guilherme Tagiaroli/UOL

A curvatura ajuda a reduzir o reflexo na tela, e o formato wide passa uma sensação de cinema (segundo a LG, essa estrutura causa uma sensação de imersão – algo que realmente funciona na prática). Nesse bom conjunto, foi o brilho forte e vivo emitido pela tela que chamou mais a atenção da reportagem.

A tela de 6 polegadas faz do aparelho um dos maiores disponíveis do mercado e isso não é, necessariamente, algo legal. Levá-lo até o rosto para atender uma ligação é bem estranho, considerando que ele tampa praticamente toda a região da orelha. Transportá-lo também não é tarefa das mais confortáveis, assim como encaixá-lo no bolso da calça (para as mulheres, a primeira opção deve ser a bolsa).

Na parte traseira, a LG aplicou uma capa chamada "self-healing" (autocura). Segundo a empresa, ela é feita de polímeros que recuperam automaticamente a superfície de riscos após algum tempo. Durante os testes, foram feitos alguns arranhões com um clipe na parte traseira, e a capa cumpriu o prometido. Ponto para a LG.

Smartphone G Flex chama a atenção pelo design curvo e a qualidade da tela - Guilherme Tagiaroli/UOL - Guilherme Tagiaroli/UOL
Smartphone G Flex chama a atenção pelo design curvo e a qualidade da tela
Imagem: Guilherme Tagiaroli/UOL

Fácil de usar

Apesar do tamanho, utilizar o G Flex é fácil - mesmo para quem tem mãos pequenas. O desbloqueio do aparelho é facilitado pelo recurso knock on, que permite travar ou desbloquear o telefone com uma sequência de toques (de fábrica, são quatro para a primeira opção, dois para a segunda).

No G Flex, é possível reduzir o tamanho do teclado virtual pela metade; dessa forma, é possível até digitar segurando o aparelho com apenas uma mão - Reprodução - Reprodução
No G Flex, é possível reduzir o tamanho do teclado virtual pela metade; dessa forma, é possível até digitar segurando o aparelho com apenas uma mão
Imagem: Reprodução

Além disso, os botões físicos ficam na parte traseira do dispositivo, o que evita toques involuntários nos cantos da tela – esse recurso, comum nos novos aparelhos da marca, também é muito útil para quem gosta de fazer selfies.

Há também uma opção reduzida de teclado virtual, que permite digitar com apenas um dedo. Como a largura de tela é grande, é possível “comprimir” a área do teclado em metade do display.

Câmeras

O aplicativo de câmera tem recursos interessantes como controle de brilho, opções de foco, configuração de ISO e aplicação de efeitos de cor (como sépia, monocromático e negativo). 

A qualidade de imagem na opção de 13 megapixels é boa, mas, como em quase toda câmera de smartphone, não manda muito bem em locais pouco iluminados. Dá para quebrar o galho, mas o comum é que a foto saia um pouco granulada.

Para quem gosta de filmar, o G Flex também captura vídeos em UltraHD (3.840 x 2.160 pixels) – mas prepare-se, pois os arquivos ficam gigantes (uma gravação de 11 segundos gerou um arquivo de 40 MB, equivalente a 40 fotos em alta definição). No final, o resultado nem parecera tão superior ao de vídeos HD feitos com o mesmo equipamento.