PUBLICIDADE
Topo

Por R$ 1.799, Moto X tem hardware de respeito e assistente de voz limitado

Smartphone Moto X, da Motorola, é apresentado durante evento realizado nos Estados Unidos - Don Emmert/AFP
Smartphone Moto X, da Motorola, é apresentado durante evento realizado nos Estados Unidos Imagem: Don Emmert/AFP

Guilherme Tagiaroli

Do UOL, em São Paulo

18/09/2013 06h05Atualizada em 18/09/2013 13h19

O Moto X, da Motorola, é o primeiro smartphone da fabricante americana com "DNA do Google". Não só pelo fato de o aparelho ter sido desenvolvido após a aquisição da Motorola pela gigante das buscas, mas por ter integrado o serviço Google Now, assistente pessoal que permite fazer pesquisas e ações no telefone por meio de comandos de voz.

O smartphone tem um formato diferentão (é um pouco curvo na região da bateria), mas é bem leve e tem "pegada" (não é desses aparelhos que parecem mais um sabonete).  O preço sugerido do Moto X desbloqueado é R$ 1.799.

Com especificações de hardware boas, o Moto X surpreendeu pela rapidez durante os testes. O aparelho funcionou sem engasgos para rodar aplicativos e dificilmente errou ao tentar reconhecer a voz do usuário quando o assistente pessoal foi acionado.

O único problema do Now é que ele funciona de forma limitada em português brasileiro. Para aproveitar tudo, só mudando a configuração do smartphone para o inglês. Veja a seguir o teste do aparelho:

Hardware “mediano” no papel

O Moto X no papel pode “perder” para seus adversários, mas o desempenho do celular inteligente é impressionante. Apegados ao processador principal, alguns usuários verão que o chip só é “dual-core” (presente em smartphones "intermediários") e desistirão do aparelho. Mas não é bem assim.

Direto ao ponto

Nome: Moto X
Tela: 4,7 polegadas, sensível ao toque
Sistema operacional: Android
Câmeras: 10 Mpixels (traseira) e 2 Mpixels (frontal)
Peso: 130 gramas
Preço sugerido: R$ 1.799 (desbloqueado)
Processador principal: Dual-core de 1,7 GHz (cada núcleo)
Pontos positivos: Aparelho rápido e de fácil manuseio, apesar do tamanho
Ponto negativo: Google Now não funciona com todos os recursos em português brasileiro

Segundo a Motorola, ele conta com um processador dual-core (dois núcleos) de 1,7 GHz, um processador gráfico quad-core (quatro núcleos) e ainda mais dois núcleos específicos: um para a funcionalidade de comando de voz e outro para computação textual. Somando tudo, há oito chips de processamento – todo esse sistema é chamado de X8.

Com mais núcleos para dividir a execução de tarefas, a empresa incluiu uma bateria de 2.200 mAh ao Moto X (bem menor que a do Razr Maxx de 3.300 mAh). Isso dá a ele uma autonomia de um dia de uso com redes móveis 3G. Com a conexão dele em redes Wi-Fi a economia de energia é maior e a bateria pode durar mais de 24 horas.

O aparelho conta com uma tela de 4,7 polegadas sensível ao toque, compatibilidade com rede 4G, 16 GB para armazenamento de arquivos e um par de câmeras razoável. A frontal é de 2 megapixels e a traseira de 10 megapixels (com possibilidade de gravar vídeos em Full HD).

O que chama a atenção na câmera do Moto X é a forma como ela pode ser acionada. Basta balançar o smartphone (mesmo que esteja em standby) que o aplicativo para captar imagens é aberto. Para tirar fotos, o usuário deve tocar qualquer ponto da tela do dispositivo.

Recursos espertos de software

O Moto X vem com uma versão do sistema Android modificada pela Motorola e algumas delas são bem interessantes. Para economizar bateria, o aparelho conta com uma área de notificações quando fica no modo standby. Ela exibe (sem acender toda a tela) informações como número de mensagens recebidas, menções no Facebook e o horário. Tudo isso sem apertar um botão. Só é necessário tocar na tela.

Ele traz ainda os recursos Moto Assist (uma central de configurações que permite, por exemplo, desativar notificações no horário de dormir), o Motorola Connect (uma extensão para Chrome, que permite visualizar SMS e nível de bateria direto do computador) e o aplicativo Migração Motorola (que ajuda na transição de dados de Androids antigos para o Moto X).

  • Don Emmert/AFP

    Tela de notificações do smartphone Moto X, da Motorola; basta o usuário tocar sobre a tela que o aparelho exibe um resumo das notificações do telefone como chamadas perdidas, e-mails recebidos e avisos de caixa postal

Google Now limitado em português

O Google Now é um assistente pessoal que funciona por meio de comandos de voz. Após configurar o recurso com a voz do usuário, toda vez que ele disser “Ok, Google Now”, o assistente será ativado (mesmo se o smartphone estiver em standby). Quem viu os vídeos de divulgação do Moto X lá fora pode se decepcionar um pouco com a limitação de funcionalidades do recurso em português.

O recurso não é totalmente “manco” em português. Ele permite fazer ligações (ligue para a Joana), verificar o correio de voz, acionar a função GPS (navegar para a av. Paulista, 1.000), fazer conversão de moedas (US$ 1 em real), indicar a previsão do tempo (dizendo previsão do tempo) e exibir informações de trânsito.

Ao colocar o smartphone em inglês é possível, por exemplo, ajustar o alarme, criar notas ou fazer perguntas do tipo: ''Precisarei sair com meu guarda-chuva hoje? Ou quantas calorias tem uma banana?''

Questionada sobre o assunto, a Motorola afirmou que o Google Now é uma plataforma dinâmica e que o Google tem trabalhado no desenvolvimento de outros recursos para o idioma. Porém, “as principais funções já estão disponíveis em português”.