PUBLICIDADE
Topo

Membros de gangues que anunciavam mortes pelo Facebook são presos nos EUA, diz jornal

Joerg Koch/AP/Dapd
Imagem: Joerg Koch/AP/Dapd

Do UOL, em São Paulo

14/09/2012 18h30

Quarenta e nove membros de duas gangues em Nova York, nos Estados Unidos, foram presos pela polícia local sob acusação de envolvimento em uma série de assassinatos e tiroteios. Pelo Facebook, os suspeitos adicionavam os rivais, faziam ameaças e contabilizavam as mortes como “trunfos”, informa o “New York Times”.

Segundo Charles J. Hynes, promotor do distrito do Brooklyn, desde que as duas gangues entraram em conflito, após a morte de um membro da Very Crispy Gangsters pela Rockstarz  em 2009, os suspeitos usavam o Facebook para se ameaçarem. Em três anos, ocorreram dez tiroteiros, com a morte dois membros da Very Crispy Gangsters e um da Rockstarz, além de um garoto de dez anos atingido por uma bala perdida.

Um dos suspeitos preso pela polícia publicou uma foto no Facebook na qual aparece com o relógio e o cinto de um dos rivais que teria assassinado. Na legenda, escreveu: “Não posso devolver. Você não pode mais andar.”  

Após a morte de um membro da Very Crispy Gangsters, um rival publicou no Facebook a mensagem “Rockstarz 3-0”, contabilizando três assassinatos. Alguns suspeitos também postavam fotos de si mesmos em frente à casa dos rivais, como forma de ameaça.

Para chegar aos acusados, os policiais acompanharam os posts publicados pelas gangues. Outros oito suspeitos de envolvimentos nos assassinatos ainda são procurados pela polícia de Nova York.