PUBLICIDADE
Topo

Trudeau diz que Canadá pressionará Biden para salvar oleoduto binacional Keystone

19/01/2021 18h20

Ottawa, 19 Jan 2021 (AFP) - O primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, disse nesta terça-feira (19) que pressionaria o presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, nos próximos dias para reconsiderar sua decisão de eliminar o oleoduto Keystone XL, que liga as areias betuminosas da província local de Alberta às refinarias costeiras no Texas, sul dos Estados Unidos.

"Mencionei este tema na primeira primeira conversa com o presidente eleito Biden antes do Natal", disse Trudeau durante coletiva de imprensa.

Ao assumir o cargo nesta quarta-feira, espera-se que Biden rescinda rapidamente uma permissão para construir o gasoduto através de uma ordem executiva, bloqueando efetivamente a finalização do projeto iniciado há quase uma década.

"Nos últimos dias e continuando hoje, estamos comunicando nossos argumentos a favor do Keystone XL diretamente aos níveis mais altos desta administração (de Biden)", assegurou.

"Vamos continuar defendendo este assunto, e espero falar com o presidente Biden nos próximos dias para falar sobre este e muitos outros temas nos quais trabalharemos juntos à medida que construímos melhor (os laços) e lutamos contra a crise da covid", destacou Trudeau.

O premier admitiu que Biden havia se comprometido a suspender definitivamente o projeto Keystone XL durante sua campanha.

Os reguladores canadenses aprovaram o projeto em 2010, mas depois foi bloqueado pelo presidente americano, Barack Obama, em 2015, devido a preocupações ambientais, uma decisão que seu sucessor, Donald Trump, revogou em 2017.

De propriedade da TC Energy e do governo de Alberta, o Keystone XL recebeu uma feroz oposição de ambientalistas e grupos indígenas, devido ao risco de vazamentos de petróleo e danos a locais considerados sagrados.

amc/sst/llu/tly/mvv