PUBLICIDADE

Topo

Streamer é acusado de fazer ataques homofóbicos a jogador de LoL 'Minerva'

League of Legends, streamer pazpeaceful faz ataques homofóbicos ao jogador Minerva - Reprodução/@pazpeaceful
League of Legends, streamer pazpeaceful faz ataques homofóbicos ao jogador Minerva Imagem: Reprodução/@pazpeaceful

Samara Barboza

Colaboração para o START, em São Paulo

29/09/2021 12h12

A noite de terça-feira (28) foi marcada por um caso revoltante de homofobia. O ex-jogador profissional de League of Legends Gustavo "Minerva" foi vítima de ataques por parte do streamer Matheus "pazpeaceful" Paz.

O streamer ficou enfurecido em live durante uma partida contra Minerva que estava perdendo. Paz fez uso de termos pejorativos e homofóbicos, além de demonstrar comportamento agressivo. O vídeo rapidamente ganhou repercussão nas redes sociais e gerou revolta.

Após a repercusão, Paz perdeu contrato com a Z6 Services - loja de vendas de contas unranked - e a plataforma BOOYAH!.

Em meio a polêmica, o streamer publicou um longo texto para falar sobre a situação.

O streamer se desculpou com o atleta. Mas explica que "nunca achou problema" por normalmente usar uma linguagem mais agressiva em suas lives.

"Aquilo falado em stream e não diretamente a ele por chat ou por uma mensagem em qualquer rede social", disse Paz.

Minerva recebeu apoio da comunidade e de seus colegas de profissão. No Twitter, o atleta expôs pazpeaceful e mostrou-se revoltado com a situação, marcando a Riot Games para que providências fossem tomadas.

Minerva, inclusive, diz cogitar a possibilidade de abrir um processo.

Homofobia nos eSports

Este não é o primeiro caso de LGBTQIA+fobia no cenário de esports. Em junho, os streamers Buxexa do Fluxo e Racha fizeram comentários transfóbicos com a influenciadora Marcella Pantaleão.

Como consequência, Buxexa foi demitido da antiga organização e ambos perderam contratos com a Garena.

ATUALIZAÇÃO

No início da tarde desta quarta (29), a BOOYAH! tomou conhecimento do ocorrido e respondeu a um dos Tweets feitos por Minerva.

Horas depois, a plataforma de streaming de Free Fire anunciou que Paz foi banido e não poderá mais fazer lives. Segundo o comunicado, a Garena não tolera tais atos preconceituosos e a medida foi tomada para proteger a integridade e oferecer melhores condições aos usuários.

Confira a nota na íntegra:

"A Garena não tolera atos de racismo, preconceito, assédio e manifestações de ódio, e espera que os streamers, espectadores e jogadores mantenham um bom comportamento dentro e fora dos jogos e transmissões.

A empresa é veementemente contra qualquer tipo de má conduta e se solidariza com qualquer pessoa ofendida com o ocorrido.

A empresa não apenas se reserva o direito de tomar medidas disciplinares apropriadas, inclusive banimentos, suspensão, ou encerramento e exclusão as contas, como comunica que o streamer PazPeaceful, que mesmo não possuindo um vínculo contratual com a BOOYAH, não poderá mais realizar transmissões na plataforma. Tais ações têm o intuito de proteger a integridade e garantir melhores condições possíveis aos jogadores, equipes, atletas, patrocinadores e colaboradores."

Até o momento a Riot Games e a Twitch, atual plataforma de PazPeaceful, não se posicionaram.

SIGA O START NAS REDES SOCIAIS

Twitter: https://twitter.com/start_uol
Instagram: https://www.instagram.com/start_uol/
Facebook: https://www.facebook.com/startuol/
TikTok: https://www.tiktok.com/@start_uol?
Twitch: https://www.twitch.tv/startuol