PUBLICIDADE
Topo

Vacina que causa Aids, viagra de Paulo Guedes e as piores fake news de 2021

Colaboração para Splash, em São Paulo

16/12/2021 04h00

O ano está chegando ao fim e o episódio do "Fake em Nóis" desta semana traz uma retrospectiva das piores fake news desvendadas pelo programa em 2021.

Entre as milhares de notícias falsas que circularam nas redes sociais ao longo do ano, Gilmar e Pirulla destacam um boato de que o ministro Paulo Guedes, da Economia, teria gastado 120 mil reais com a compra de viagra da Pfizer, uma mentira de que 87 mil pessoas teriam reprovado por uso do pronome neutro no Enem, a ligação da vacina da covid-19 com a Aids, doença causada pelo vírus do HIV, entre outras informações compartilhadas sem passar por nenhum processo de checagem antes.

A mentira que envolveu a compra de viagra pelo ministro da pasta econômica foi compartilhada no Twitter em março. Pirulla comenta que foi uma brincadeira que a pessoa que postou avisou antes que faria e mesmo assim um monte de gente caiu, mas ninguém se dispôs a checar.

Já o boato de que 87 mil pessoas haviam sido reprovadas no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) por uso do pronome neutro foi feito na metade do ano. Gilmar explica que, de fato, 87 mil pessoas reprovaram na prova em 2019, mas não pelo motivo citado na fake news.

O INEP [Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira] soltou uma nota explicando que as principais causas da reprovação foram fuga ao tema, cópia do texto motivador, texto insuficiente, não atendimento ao tipo do texto, redação em branco e outros motivos.

Uma das fake news mais chocantes do ano foi feita pelo presidente Jair Bolsonaro durante uma live para seus seguidores nas redes sociais, em outubro. A mentira propagada inicialmente por um fórum da internet, conhecido por teorias da conspiração, dizia que o governo do Reino Unido tinha concluído que vacinas com adenovírus tinham ligação com o HIV, causador da AIDS.

Na verdade, isso foi uma confusão envolvendo uma pesquisa para vacina contra o HIV, em 2007. Não tinha nada a ver com o novo coronavírus, que nem existia na época.

'Fake em Nóis'

Apresentado pelo biólogo Pirulla e pelo checador de fatos Gilmar Lopes (do site eFarsas), o "Fake em Nóis" traz, com muito bom humor, a verdade sobre algumas mentirinhas que circulam na internet. O programa vai ao ar toda quarta-feira, 19h, no YouTube de Splash e também está disponível na sua plataforma de podcast preferida.