PUBLICIDADE
Topo

Simony revela choro ao posar nua e relata rebelião em prisão no Carandiru

Simony falou sobre ensaio nu e rebelião no Carandiru - Imagem: Reprodução/Instagram@simonycantora
Simony falou sobre ensaio nu e rebelião no Carandiru Imagem: Imagem: Reprodução/Instagram@simonycantora

Colaboração para o UOL

01/09/2021 10h01

A cantora Simony, de 45 anos, abriu o jogo e falou sobre dois episódios marcantes de sua vida ao relembrar quando posou nua para as páginas de uma revista adulta, bem como da ocasião em que presenciou a rebelião ocorrida no presídio do Carandiru, em São Paulo, em 2001.

Em entrevista ao podcast "Inteligência Ltda", a artista revelou alguns detalhes dos bastidores de quando posou para a "PlayBoy". Segundo contou, as fotos foram feitas no Caribe, mas, ao chegar no local para a sessão, ela começou a chorar, arrependida. No entanto, ela diz que ligou para a mãe, que a encorajou a realizar o ensaio.

"Cheguei lá [no Caribe] e quem disse que eu queria fazer as fotos?! Comecei a chorar e queria minha mãe. Mas já tinha gasto metade do dinheiro. O que eu ia fazer? Liguei para a minha mãe chorando e ela disse: 'filha, vai ficar linda'. Minha mãe é super de boa. No final, fiz as fotos e ficaram lindas", declarou.

Em outro momento do podcast, Simony relembrou a rebelião ocorrida no presídio do Carandiru, em fevereiro de 2001, quando ficou presa no local por quase 48 horas. Na ocasião, a artista tinha ido visitar seu então companheiro, Christian de Souza Augusto, conhecido como rapper Afro-X, pai de seus dois filhos mais velhos Ryan, de 20 anos, e Aysha, de 18.

Na entrevista, ela revela que não conseguiu sair do presídio quando a rebelião teve início e que, felizmente, na parte em que ela ficou presa, os detidos envolvidos no ato não fizeram uso de armas de fogos. Ainda, ela recorda que conseguiu ser liberada graças à ajuda do vereador Eduardo Suplicy (PT-SP), à época senador pelo estado, que foi até o Carandiru para negociar com os presos.

"Nessa parte que eu estava, não tinha armas. Mas depois acharam. O Suplicy foi lá ajudar a negociar, de pijamas. Ele que mediou essa negociação. Foi muito triste, eu tive muito medo. Eu estava grávida do Ryan, de seis ou sete meses. De tudo o que o meu filho passou, porque a criança sente... Mas ele é um gentleman [cavalheiro], meu filho. Como Deus foi bom para mim", disse.

Por fim, a famosa disse compreender a decepção das pessoas em relação ao episódio, mas admite ser "mulher para assumir" os seus "erros". "Errei, decepcionei essas pessoas. Mas, graças a Deus, tive outra chance de recomeçar. De lutar, ser e criar meus filhos", completou.

Além de Ryan e Aysha, da relação com Afro-X, Simony também é mãe de Pyetra, de 14 anos, do relacionamento com o jogador de futebol Diego Souza, e Anthony, de 7 anos, do casamento com Patrick Silva. Atualmente, a cantora está noiva do cantor Felipe Rodriguez.