PUBLICIDADE
Topo

Johnny Depp recebe aval para processo de US$ 50 milhões contra Amber Heard

Johnny Depp recebeu permissão para prosseguir com um processo por difamação de US $ 50 milhões contra ex-mulher, Amber Heard - Reprodução/Instagram
Johnny Depp recebeu permissão para prosseguir com um processo por difamação de US $ 50 milhões contra ex-mulher, Amber Heard Imagem: Reprodução/Instagram

Colaboração para o Splash

18/08/2021 12h26Atualizada em 18/08/2021 12h28

Johnny Depp, de 58 anos, conseguiu permissão para seguir com seu processo de difamação contra a ex-mulher, Amber Heard, 35.

O ator está processando Amber com base em um artigo de opinião do Washington Post escrito em 2018, onde Heard contou sobre como sobreviver à violência doméstica, sem citar o nome de Depp.

Em documentos judiciais obtidos pela revista People ontem, uma juíza da Virgínia concedeu ao ator o direito de prosseguir com seu processo, negando o apelo de Heard para encerrar o caso depois que Depp perdeu seu processo por difamação no Reino Unido contra o tablóide britânico The Sun.

Em novembro de 2020, o astro de "Piratas do Caribe" perdeu seu caso contra o tablóide que o chamou de "espancador de mulheres". O tribunal manteve as alegações do meio de comunicação como sendo "substancialmente verdadeiras".

O apelo de Amber Heard para rejeitar o processo de Depp, aberto na Virgínia em março de 2019, veio com o argumento de que a decisão do Reino Unido deveria ter influência sobre os processos nos EUA, uma vez que ambos se centram nas alegações do ator como agressor.

Contudo, a juíza rejeitou o apelo da atriz, dizendo que embora o artigo de Heard e o artigo do The Sun possam ser semelhantes no que diz respeito a alegações de agressão, as declarações feitas pelo tablóide e por Amber em seu artigo foram "inerentemente diferentes".

O caso

Em seu artigo de opinião de dezembro de 2018, Heard escreveu: "Tornei-me uma figura pública que representa a violência doméstica e senti toda a força da ira de nossa cultura contra as mulheres que falam".

Três meses após a publicação, Depp entrou com um processo por difamação contra a atriz no valor US$ 50 milhões.

Na época, os advogados de Depp disseram no processo: "O Sr. Depp nunca abusou da Sra. Heard. Suas alegações contra ele eram falsas quando foram feitas em 2016. Elas foram parte de uma elaborada fraude para gerar publicidade positiva para a Sra. Heard e alavancar sua carreira."

Em uma entrevista ao The Sunday Times do Reino Unido na semana passada, Depp afirmou que houve um "boicote" a ele em Hollywood devido as acusações.