PUBLICIDADE
Topo

Camila Cabello rebate críticas ao corpo: 'Não querem ver uma mulher real'

Camila Cabello em entrevista ao Fantástico - Vídeo/Reprodução
Camila Cabello em entrevista ao Fantástico Imagem: Vídeo/Reprodução

Colaboração para Splash

16/08/2021 08h54Atualizada em 16/08/2021 16h47

A cantora cubana Camila Cabello, 24 anos, criticou a pressão que os usuários de redes sociais tem cada vez mais feito em busca do "corpo perfeito" nos outros.

"Eu acho que hoje em dia a gente se acostumou tanto a usar os filtros nos vídeos e fotos que as pessoas na internet tem um padrão: magra, alta. E isso nem sempre é real. Nós temos os nossos corpos reais e o mundo não quer ver uma mulher real, com pelos, celulite, estrias. Eu sinto que as mulheres não podem simplesmente existir e isso é exaustivo", contou a cantora pop em entrevista ao Fantástico de ontem.

A pop star falou ainda sobre seu mais novo lançamento, a canção "Don't Go Yet", que segundo a própria, é uma celebração a família. "Eu me inspirei na ideia de que quando você junta as pessoas que você ama em um jantar desses, muita coisa engraçada e louca pode acontecer"

Ela acrescentou que pandemia a fez ter vontade de compor algo sobre a vontade de estar junto. "As vezes não dá pra esperar algo alegre acontecer, você tem que fazer acontecer. A musica é isso. Vamos ser felizes, dançar e ser um pouco bobo juntos? Todo mundo tá lá. A voz do rádio do começo é meu avô. Tem meu pai, minha irmã, meus amigos. Todos no vídeo".

Ao final da entrevista, ela confirmou ter vontade de voltar em breve ao Brasil com novo shows. "Um passo de cada vez, mas tenho planos de voltar. Amo vocês, estou com saudade e espero ver vocês logo".

Recentemente, no Tiktok, Camila já havia rebatido críticas ao seu corpo.

"Eu estava correndo no parque na minha, tentando ser fitness, tentando me manter saudável. Eu estou vestindo um top que mostra a minha barriga e e eu não estava tentando esconder porque estava correndo e existindo como uma pessoa normal que não encolhe a barriga o tempo todo".

"Primeiro eu fiquei tipo: 'Nossa'. Mas aí eu me lembrei que estar em guerra com seu próprio corpo está fora de moda. Eu sou grata por esse corpo que me permite fazer o que eu preciso. Nós somos mulheres reais com curvas, celulite, estrias e gordura. E nós temos que aceitar isso", contou ela à época.