PUBLICIDADE

Topo

Você usa coletor menstrual? Conheça essa alternativa ao absorvente

Mais Sem Frescura
1 | 25
Siga o UOL Mov no

Do VivaBem, em São Paulo

26/04/2021 04h00

Quando chega aquele período do mês, o que você faz para evitar que seu fluxo menstrual manche suas roupas? Muita gente vai responder a essa pergunta dizendo que utiliza absorventes descartáveis, mas você sabia que existe uma opção que, além de ser ecologicamente mais responsável, é cada vez mais adotada pelas mulheres?

Sim, eu estou falando dos coletores menstruais. O que ele faz, basicamente, é servir como um "copo", contendo o fluxo da menstruação dentro do canal vaginal.

O coletor geralmente é feito de um material flexível, que pode ser silicone, látex ou termoplástico e há dois formatos mais comuns, sendo um em forma de cone ou "copinho" e outro em formato de disco. Até existem modelos descartáveis, mas os mais comuns são reutilizáveis e duram bastante.

Para ser utilizado, ele deve ser dobrado e inserido dentro do canal vaginal. Uma vez instalado, o ideal é que a mulher permaneça com ele por, no máximo, 12 horas, que é quando ele deve ser retirado, esvaziado, higienizado e, dependendo do momento do seu ciclo, recolocado. Esse período, claro, pode variar de acordo com a intensidade do fluxo. Idealmente, convém trocar com frequência, de maneira a evitar o acúmulo de sangue menstrual por muito tempo, o que pode servir como meio de cultura para bactérias.

Com ele instalado, basta seguir sua vida normalmente. Você pode fazer exercícios e até dormir com o coletor, sem o menor problema. Todas as mulheres no período menstrual podem usá-lo, e por haver coletores com formatos e tamanhos distintos, é possível escolher um que se adeque ao seu corpo.

Isso, porém, não se aplica a quem está no puerpério, aquele período de 45 dias após o nascimento do bebê, ou quem usa DIU, já que a instalação do coletor pode fazer o dispositivo se deslocar. Outras contraindicações são para pessoas que tenham passado recentemente por cirurgias, que tenham problemas anatômicos, alergia ao material do coletor ou tenham se sentido desconfortáveis com o uso do objeto.

Por fim, alerta para quem ainda é virgem: o uso do coletor pode provocar o rompimento do hímen.

Outra dúvida comum é se a mulher pode transar com o coletor instalado. Aqui, depende: se o modelo usado for o de "copinho", não é possível. Há porém outros, em forma de disco, que permitem relações sexuais.

E pode ficar tranquila: o coletor é algo extremamente higiênico e pode ser esterilizado tanto em água fervente quanto no micro-ondas. Feito isso, é só guardá-lo seco e esterilizar novamente antes do próximo uso.

Roteiro: Rodrigo Lara. Fontes: Simone Davi, Ginecologista do Hospital Santa Catarina; Fernanda Mastrocola, ginecologista e especialista em reprodução humana do Grupo Huntington; Lidia Myung, ginecologista da BP - A Beneficência Portuguesa de São Paulo; Giórgia Lauriano Pasquali, ginecologista obstetra e colaboradora da Plataforma Sexo sem Dúvida; Alexandre Pupo, ginecologista e obstetra do Hospital Sírio Libanês e Hospital Albert Einstein.

Um universo de conteúdo para assistir do seu jeito.

O Conto de Aia
Flack
Acende a Luz
De Férias com o Ex - Brasil
Schitts Creek
The Office
Patrulha Canina
Inimigos da HP