PUBLICIDADE
Topo

CarnaUOL

São Paulo


SP: Prefeitura propõe Carnaval de rua em julho e fica 'no escuro' em abril

Blocos devem desfilar no Carnaval de São Paulo - Nelson Antoine/UOL
Blocos devem desfilar no Carnaval de São Paulo Imagem: Nelson Antoine/UOL

Do UOL, em São Paulo

20/04/2022 15h19

Após reunião realizada com representantes dos blocos de São Paulo, a Secretaria Municipal de Cultura e a prefeitura da cidade propuseram um Carnaval de rua nos dias 16 e 17 de julho, chamado "esquenta".

Já a realização de eventos de blocos nas ruas da capital paulista durante o feriado de Tiradentes — que terá os tradicionais desfiles das escolas de samba no sambódromo do Anhembi — ficou incerta.

Citando os eventos fechados de carnaval e também os desfiles, Aline Torres, secretária de Cultura de São Paulo, disse acreditar que a demanda de blocos durante o feriado será pequena. Além disso, também foi pedido aos blocos que pretendem sair que procurem as subprefeituras responsáveis.

"A secretaria pediu encarecidamente, porque a prefeitura até agora não foi notificada de quais blocos vão sair no feriado, e os blocos se comprometeram a fazer isso também, de procurar as subprefeituras para que minimamente a gente consiga fazer a limpeza nos términos desses blocos. A gente entende que serão poucos blocos que vão estar nas ruas agora no dia 21. Os blocos que procurarem a prefeitura e der tempo, a gente vai conseguir fazer essa ponte", ressaltou.

O UOL também entrou em contato com Thais Haliski, coordenadora da Comissão Feminina do Carnaval de Rua de São Paulo. Ela citou a falta de diálogo por parte da secretaria e afirmou que a orientação de procurar as subprefeituras foi criada hoje, durante a reunião e apenas um dia antes do início do feriado.

Thais também informou que devem sair nas ruas da cidade no feriado entre 50 e 60 blocos — que estão contratando por conta itens como banheiros químicos e cavaletes. Entre os organizadores existe o medo de repressão dos eventos pela Guarda Civil Metropolitana e a Polícia Militar.

Por outro lado, Aline reforçou que a prefeitura "está no escuro" quanto a saída dos blocos.

"Hoje a prefeitura está no escuro, a imprensa está mais pautada de onde vão ser os blocos do que a prefeitura. A gente não recebeu notificação nenhuma, teve um caso ou outro isolado. Como a gente recebeu nessa semana a informação de que muitos blocos desistiram, acho que a gente vai ter uma demanda pequena nas ruas", disse.

Sobre a proposta de realizar o "esquenta de Carnaval" em julho, Thais acredita que a ideia não terá adesão da maioria dos representantes dos blocos.

Em nota, a secretaria afirmou que "permanece aberta ao diálogo permanente, empenhada viabilizar o desfile dos blocos com planejamento adequado em conjunto com os organizadores e, assim, garantir a segurança dos foliões e da população."