PUBLICIDADE
Topo

Americana se torna primeira mulher a ganhar prêmio Abel

19/03/2019 09h25

Copenhague, 19 mar (EFE).- A americana Karen Keskulla Unlebeck se tornou nesta terça-feira a primeira mulher a ganhar o prêmio Abel, uma das maiores distinções em matemática.

Karen, de 76 anos, foi premiada por suas "conquistas pioneiras" sobre equações diferenciais parciais geométricas, a teoria de calibre e os sistemas integráveis", assim como pelo impacto "fundamental" de seu trabalho em temas de análise, geometria e física matemática, segundo a decisão divulgada hoje em Oslo.

A Academia Norueguesa das Ciências e das Letras ressaltou que Karen, adscrita à Universidade de Austin (EUA), é uma das fundadoras da análise geométrica moderna e que sua perspectiva foi implantada na matemática e conduziu a alguns dos avanços "mais espetaculares" nesse campo nos últimos 40 anos.

"As suas teorias revolucionaram o nosso modo de entender as superfícies mínimas, como a formada pelas borbulhas de sabão, e os problemas de minimização gerais em dimensões mais altas", explicou o presidente do comitê, Hans Munthe-Kaas.

As técnicas e métodos de análise global desenvolvidos por Karen fazem parte "da caixa de ferramentas de todo geômetra e analista" e seu trabalho é a base também dos modelos geométricos contemporâneos aplicados em matemática e em física.

O júri destacou também que Karen é "um modelo a seguir e uma firme defensora da igualdade de gênero no mundo das Ciências e das Matemática".

Nascida em Cleveland (EUA) em 1942, Karen Uhlenbeck se graduou na Universidade de Michigan e se doutorou na Universidade de Brandeis, mas foi na de Chicago, em nos anos 80, onde se transformou em uma referência internacional.

A matemática americana sucede no histórico prêmio o canadense Robert P. Langlands, que no ano passado foi agraciado "pelo seu programa visionário que conecta as teorias da representação e dos números".

O prêmio é dotado de 6 milhões de coroas norueguesas (US$ 703 mil).

O prêmio Abel é denomina assim em lembrança do matemático norueguês Niels Henrik Abel (1802-1829), e foi estabelecido pelo Parlamento deste país escandinavo em 2002.

O Comitê Abel, composto por cinco matemáticos reconhecidos internacionalmente, é o encarregado de escolher a cada ano o ganhador. EFE