PUBLICIDADE
Topo

Fluxo de capital para moedas digitais bate recorde no ano até novembro, diz CoinShares

29/11/2021 17h22

Por Gertrude Chavez-Dreyfuss

NOVA YORK (Reuters) - Os produtos e fundos de criptomoedas tiveram entrada recorde de recursos nos primeiros 11 meses do ano, apesar de declínios nos preços nas últimas semanas, segundo dados do setor acompanhados pela CoinShares e divulgados nesta segunda-feira.

O total de recursos dirigidos ao setor somou 9,5 bilhões de dólares até 26 de novembro, um recorde. Em 2020, o fluxo total para bitcoin somou 6,7 bilhões de dólares. Na semana, o volume somou 306 milhões.

O bitcoin viu os maiores fluxos de entrada de capital em cinco semanas, totalizando 247 milhões de dólares, segundo os dados da CoinShares, após o lançamento de outro produto de investimento na Europa.

A Invesco lançou um ETF de bitcoin na Europa, afirmaram publicações da imprensa. A CoinDesk, enquanto isso, publicou que a gestora de ativos WisdomTree listou um trio de fundos de criptomoedas na bolsa de valores suíça SIX e na Börse Xetra, de Frankfurt.

O bitcoin viu fluxos positivos de recursos por 11 semanas seguidas, somando 2,7 bilhões de dólares, segundo a CoinShares.

O fluxo da semana passada ocorreu depois de uma queda de 2,3% no preço e depois de um tombo de 10,4% na semana anterior. Na sexta-feira, o bitcoin teve baixa de 9% depois que investidores venderam a moeda digital e outros ativos de risco diante dos temores sobre a variante ômicron do Covid-19. Nesta segunda-feira às 17h10, o bitcoin era negociado em alta de 1,1%, a cerca de 58 mil dólares.

"A inflação está disparando e as pessoas estão buscando alternativas para seu dinheiro no banco", disse Ruud Feltkamp, presidente Cryptohopper.

"Não acho que vai levar muito até os investidores verem isso como um momento de compra 'barato'. Ainda estamos no meio do ciclo de alta e eu acho que o aumento da inflação vai levar mais dinheiro a ser alocado para ações e criptomoedas", acrescentou.