PUBLICIDADE
Topo

Revolução! Nova tecnologia vai permitir internet mais rápida

Nova tecnologia deverá impactar velocidade da internet - Getty Images/iStockphoto
Nova tecnologia deverá impactar velocidade da internet Imagem: Getty Images/iStockphoto

Gabriel Francisco Ribeiro

Do UOL, em São Paulo

02/10/2018 17h42

Uma nova tecnologia vai permitir que você navegue em velocidades mais rápidas na internet no futuro. Em estudo publicado na revista Nature, pesquisadores da Universidade de Hong Kong e de Harvard, em parceira com laboratórios de tecnologia da informação, relatam que conseguiram fazer um novo “modulador óptico”. Não entendeu o que isso significa? Calma que a gente explica.

Esses moduladores são um componente crítico nas comunicações modernas e funcionam como um gargalo da comunicação. Segundo Flávio Mello, professor de Engenharia Eletrônica e Computação da Escola Politécnica da UFRJ, a tecnologia fica na chamada última milha do sinal da internet, em postes perto da casa dos usuários.

Veja também:

Eles são capazes de converter sinais elétricos em alta velocidade para sinais ópticos em dispositivos como computadores antes de transmitir os sinais por fibra ótica.

A nova tecnologia, segundo o estudo, vai revolucionar toda a indústria das comunicações. Isso porque pesquisadores criaram um modulador que é menor, mais eficiente com transmissão de dados e que custa menos.

Os novos moduladores, que são menores e mais eficientes segundo estudo - Second Bay Studios/Harvard SEAS - Second Bay Studios/Harvard SEAS
Os novos moduladores, que são menores e mais eficientes segundo estudo
Imagem: Second Bay Studios/Harvard SEAS

O novo modulador mede de 1 a 2 centímetros – sua área de superfície é 100 vezes menor do que os tradicionais que são usados atualmente. A tecnologia inovadora, graças a novos desenvolvimentos da tecnologia nano feitos por pesquisadores, faz o modulador ser pequeno enquanto pode transmitir dados em taxas acima de 210 Gbit/segundo, com 10 vezes menos perdas ópticas que os atuais moduladores.

Além disso, o invento revolucionário ainda gasta menos energia do que os aparelhos atuais. O estudo aponta que a novidade vai pavimentar o caminho para uma rede de comunicações com mais velocidade, mais poder e com melhor custo-benefício.

Apesar de ter a ver com peças de fibra óptica, a novidade não vai melhorar a vida apenas de quem tem internet por esses cabos em sua casa. De alguma forma, todos contam com alguma fibra óptica no caminho da internet até a sua casa.

As pessoas são impactadas, algumas mais e outras menos. Ele consegue taxas bem velozes. Esse modulador é mais barato e mais rápido, então o sinal chega na última milha com alta velocidade Flávio Mello, professor de Engenharia Eletrônica e Computação da Escola Politécnica da UFRJ

O caminho de um sinal de um site de streaming, por exemplo, começa no servidor da página. Aí ele navega na rede de internet até chegar à "última milha", que é como se fosse a porta dos edifícios dos usuários. Nesse caminho, existem redes de fibra óptica ou de alta velocidade - o ganho está exatamente na transformação desse sinal no final do caminho. 

Usuário pode demorar a ter a tecnologia

Não espere, contudo, que suas velocidades fiquem mais rápidas instantaneamente. Como aponta Flávio, é necessário que a infraestrutura de comunicações seja reformada com a produção da nova tecnologia, que acabou de ter o estudo publicado.

“A nova tecnologia impacta bem, mas a única questão é que esse ganho não é instantâneo. Você tem equipamentos que já estão colocados na rua em operação e que precisam ser substituídos por um como esse. Em geral as companhias têm um cronograma de troca de equipamento. Se esse entrar em produção, essa troca começa a acontecer gradativamente”, explica.