PUBLICIDADE
Topo

Harvey Weinstein será extraditado para Califórnia, onde enfrenta acusações de estupro e abuso sexual

15/06/2021 19h39

Por Jonathan Stempel

NOVA YORK (Reuters) - Um juiz norte-americano nesta terça-feira liberou o caminho para que o ex-produtor de Hollywood Harvey Weinstein seja extraditado de Nova York para a Califórnia para enfrentar acusações de estupro e abuso sexual, quase um ano depois que procuradores de Los Angeles tentaram trazer Weinstein para enfrentar julgamento em seu estado.

O juiz Kenneth Case, do Tribunal do Condado de Erie, em Buffalo, no Estado de Nova York, rejeitou os argumentos da equipe jurídica de Weinstein de que a documentação para a extradição não estava pronta, e que Weinstein, de 69 anos, deveria permanecer em Nova York para receber atendimentos médicos. 

"Se o Estado da Califórnia não vier buscar o sr. Weinstein dentro de um período razoável de tempo, certamente volte para me ver", disse Case a Norman Effman, um advogado que representa Weinstein. 

O plano dos promotores de Los Angeles é extraditar Weinstein entre o final de junho e meados de julho, para que assim ele possa enfrentar um indiciamento com 11 acusações contra ele por ataques a cinco mulheres entre 2004 e 2013. 

Mark Werksman, um outro advogado de Weinstein, disse em um e-mail que Weinstein vai recorrer da decisão de Case e pede que um juiz de Los Angeles bloqueie a extradição "até que ele consiga receber o atendimento médico do qual ele precisa em Nova York". 

Greg Risling, um porta-voz para o Promotor Distrital do Condado de Los Angeles, George Gascon, disse que Weinstein tem direito a um julgamento dentro de um período de 120 dias após sua chegada em Los Angeles.