PUBLICIDADE
Topo

Belarus proíbe canal de TV europeu Euronews

12/04/2021 20h40

Minsk, Bielorrússia, 12 Abr 2021 (AFP) - Autoridades bielorrussas proibiram a transmissão no país do canal de televisão europeu Euronews, uma medida descrita como censura por opositores do questionado regime de Alexander Lukashenko.

"O Ministério da Informação excluiu o programa de televisão estrangeiro Euronews", disse o ministério bielorrusso em um comunicado nesta segunda-feira (12), afirmando que o canal francês seria substituído por uma programação produzida na Rússia na Segunda Guerra Mundial.

Um porta-voz do Ministério disse à agência de notícias Ria Novosti que a licença do canal não foi renovada devido a anúncios veiculados em inglês em vez de serem traduzidos para o russo ou bielorrusso.

"Lamentamos profundamente a decisão de suspender a transmissão do Euronews em Belarus a partir de hoje. Não fomos comunicados da decisão ou suas razões e soubemos a notícia esta manhã através da imprensa", disse à AFP um porta-voz da Euronews.

O canal tem "orgulho de ser reconhecido mundialmente como um meio independente que trata as informações de maneira estritamente objetiva e imparcial na língua russa como em todas as suas edições em outros idiomas".

"A Euronews, empenhada na liberdade de imprensa, fará tudo o que estiver ao seu alcance para garantir que o seu público em Belarus possa voltar a ter acesso, na televisão, ao jornalismo imparcial e de qualidade que o caracteriza. Entretanto, o público pode nos seguir em nossas plataformas digitais", acrescentou o porta-voz.

A proibição se soma à "situação desesperadora em que se encontram os meios de comunicação independentes em Belarus", disse Ales Bialiatski, diretor da ONG bielorrussa Viasna.

Segundo ele, o canal foi "substituído por um canal de propaganda (...) Belarus está caindo em isolamento de informação e é isso que o regime quer".

"Felizmente, a penetração da Internet no país é muito alta, mas esta é claramente uma tentativa de limitar o acesso à informação", disse a jornalista independente e analista bielorrussa Hanna Liubakova no Twitter.

Em 2020, um grande movimento de protesto contra o presidente Alexander Lukashenko abalou Belarus, mas desde então foi reprimido pelo governo.

A oposição considera fraudulenta a reeleição, em agosto de Lukashenko, no poder desde 1994.

tk-apo/pz/pc/mar/erl/mls/jc/mvv