PUBLICIDADE

Topo

Toque do tambor conecta gerações com MC Dricka e Mestre Ivamar

De Ecoa, em São Paulo (SP)

20/10/2021 04h00

O tambor como ferramenta de conexão ancestral é o fio condutor do documentário "Sinfonias Negras", que mostra a troca de experiências entre um griô quilombola, o arte-educador Mestre Ivamar, e uma jovem mulher negra referência para sua geração, a MC Dricka. A produção é idealizada e realizada pela A Visionária Lab, em parceria com Ecoa e MOV.

A oralidade é a base do compartilhamento de histórias, canções e vidas das famílias descendentes de pessoas escravizadas desde que foram trazidas à força para o Brasil. Sem direito a documentos, registros oficiais e um histórico detalhado de seus antepassados, cabe aos mais velhos a importante tarefa de compartilhar sua sabedoria e memória com as novas gerações, que manterão vivas suas histórias ao contá-las aos seus descendentes e assim por diante. Mestre Ivamar, 63, é um dos muitos "mais velhos" atuais, pilar em sua comunidade e repleto de ensinamentos para oferecer acompanhados do toque do tambor à cantora Dricka, 22, conhecida como a "Rainha dos Fluxos" pela habilidade de arrastar milhares de jovens com a intensidade de seu funk empoderado.

A conversa entre os dois é acompanhada pela fala potente de dois especialistas em música, cultura negra e ancestralidade: a multi-instrumentista Bia Ferreira e o compositor Russo Passapusso, do BaianaSystem.

O que me conecta a uma menina preta de duzentos anos atrás é o tambor que ela também tocava

Bia Ferreira, cantora, compositora e multi-instrumentista

O documentário "Sinfonias Negras", lançado pelo selo UOL Plural, já está disponível no YouTube de MOV.doc e no UOL.