PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Além de Sánchez: Arsenal já perdeu outros 'vira-casacas' para times rivais

Julian Finney/Getty Images
Imagem: Julian Finney/Getty Images

Vanderson Pimentel

Do UOL, em São Paulo

23/01/2018 07h56

A saída de um jogador para a equipe rival é algo que sempre chama atenção no mundo do futebol. Mas esta prática vem sendo uma constante no Arsenal nos últimos anos. O clube, que na última segunda-feira (22) vendeu Alexis Sánchez ao Manchester United pelo passe de Henrikh  Mkhitaryan e cerca de 30 milhões de libras, costuma ser alvo constante dos rivais ingleses.

O principal responsável por tirar jogadores da equipe londrina é o Manchester City, que contratou cinco atletas provenientes do Arsenal nos últimos nove anos. Além dos rivais de Manchester, Liverpool e Chelsea também já conseguiram bons negócios ao comprar dos Gunners.

Relembre os 'vira-casacas' que deixaram o Arsenal

  • Tom Hevezi/EFE

    Ashley Cole (Chelsea)

    Ashley Cole conversava com o Chelsea desde 2005. Sem autorização do Arsenal, o jogador chegou a ser multado pela diretoria de sua então equipe. Apesar da insistência dos Gunners em contar com o jogador, o lateral fechou com o clube rival depois de se irritar com a contraproposta feita por Arsène Wenger. Ao todo, o Chelsea gastou 7,4 milhões de euros e deu o passe do zagueiro William Gallas no último dia da janela de transferências em agosto de 2006 para ter o lateral esquerdo, que jogou nos Blues até 2012.

  • AFP

    Emmanuel Adebayor (Manchester City)

    Após um início conturbado, Adebayor passou a se destacar pelo Arsenal em 2007, sendo o principal centroavante da equipe. Tamanho destaque fez com que o Manchester City pagasse 29 milhões de euros por sua contratação em julho de 2009. Apesar de um bom início, o togolês, que chegou a ser emprestado a Real Madrid e Tottenham, teve sua passagem pelo City marcada por correr na direção dos torcedores do Arsenal para comemorar um gol, dois meses depois de ter chegado ao seu então novo clube.

  • Nick Potts/AFP

    Kolo Touré (Manchester City)

    Dez dias depois de Adebayor assinar com o City, era a vez de outro jogador do Arsenal seguir o mesmo caminho. Uma das lideranças da equipe de Wenger, Kolo Toure pediu para ser negociado ainda em janeiro de 2009, após se desentender com o então companheiro de zaga William Gallas. O defensor, que custou 18,7 milhões de euros ao Manchester City, conseguiu jogar ao lado do irmão Yaya, que passou a atuar pela equipe inglesa em 2010. No entanto, o histórico de lesões e um teste positivo para uso de drogas em 2011, que o deixou suspenso por 6 meses, atrapalharam uma estadia de sucesso do marfinense nos citizens, onde jogou até 2013.

  • AP

    Gaël Clichy (Manchester City)

    Foi mais um a trocar o Emirates Stadium pelo Manchester City. No entanto, o clube comandado pelos sheiks dos Emirados Árabes Unidos gastou apenas 7,7 milhões de euros para ter o francês em 2011, já que seu contrato com o Arsenal expiraria em um ano. Apesar das expectativas positivas, Clichy não chegou perto de ter o mesmo desempenho que o fez ser eleito o melhor lateral esquerdo do Campeonato Inglês. Fora dos planos de Pep Guardiola, o jogador deixou o City em junho do ano passado.

  • Adrian Dennis/AFP

    Samir Nasri (Manchester City)

    Além de Clichy, foi outro francês a chegar aos citizens na mesma janela de verão de 2011. Apesar da boa relação com Wenger, Nasri optou por assinar com o Manchester City em busca de títulos. Titular absoluto da equipe que venceu o Campeonato Inglês em 2012, chegou a renovar seu contrato até 2019 depois de outras boas temporadas. No entanto, uma lesão no tendão, aliado a problemas disciplinares que o deixaram fora da seleção francesa, fizeram com que Guardiola não quisesse trabalhar com o meia.

  • AP Photo/Kirsty Wigglesworth

    Robin Van Persie (Manchester United)

    Teve o auge da carreira atuando como centroavante pelo Arsenal. Além dos gols, o holandês conquistou os prêmios de melhor jogador e artilheiro do Campeonato Inglês. Mesmo sendo ídolo do clube, não quis renovar com os Gunners, e foi anunciado pelo Manchester United em agosto de 2012 por 30,7 milhões de euros. No novo clube, o holandês foi mais uma vez artilheiro do Inglês em 2013. Mas seu desempenho foi caindo nos anos seguintes e ele se transferiu para o Fenerbahçe em 2015.

  • AFP PHOTO / ADRIAN DENNIS

    Bacary Sagna (Manchester City)

    Intocável no Arsenal, fez parte da seleção do Campeonato Inglês em 2007/2008 e 2010/2011 e chegou a atuar como zagueiro em algumas ocasiões. Depois da Copa do Mundo de 2014, seu contrato chegou ao fim e acabou anunciado pelo Manchester City. Reserva do questionado Pablo Zabaleta, o francês deixou a equipe em junho de 2017, após o término de seu acordo com a equipe citizen. Desde então, o jogador encontra-se sem clube.

  • REUTERS/Toby Melville

    Alex Oxlade-Chamberlain (Liverpool)

    Revelação do Southampton, Oxlade-Chamberlain foi contratado aos 17 anos pelo Arsenal, que desembolsou 13,8 milhões pelo meia em 2011. Além de se tornar o jogador mais jovem a fazer um gol pela equipe londrina, com 18 anos, ele foi eleito o melhor jovem do Campeonato Inglês. Apesar de se destacar cada vez mais na equipe, o Arsenal optou por vender o jogador no último dia da janela de transferência de julho de 2017 por 38 milhões de euros. Foi a segunda maior negociação da história do clube. Ele só perde para Marc Overmars, que foi vendido ao Barcelona por 40 milhões de euros em 2000.

Esporte