PUBLICIDADE

Topo

Pergunte ao VivaBem

Os melhores especialistas tiram suas dúvidas de saúde


Pergunte ao VivaBem

Qual o tempo máximo que posso segurar o xixi sem causar um mal à saúde?

Daniel Navas

Colaboração para o VivaBem

26/01/2021 04h00

Resumo da notícia

  • As mulheres não podem ultrapassar 3 ou 4 horas, e os homens, 4 a 5 horas
  • No caso delas, ficar mais do que o tempo indicado aumenta bastante o risco de infecção urinária
  • No caso dos homens, até pode ocorrer a doença por segurar o xixi, porém é mais raro
  • O que pode ocorrer, em médio e longo prazos, tanto com eles quanto com elas, é a distensão da bexiga
  • Este problema faz com que a bexiga não consiga eliminar todo o xixi, o que, com o passar do tempo, pode causar infecções urinárias recorrentes

Para as mulheres, o correto é não passar de 3 a 4 horas, para os homens, de 4 a 5 horas. Para elas, segurar mais do que o tempo indicado aumenta o risco de infecção urinária. Isso porque a principal bactéria causadora do problema necessita em torno de 4 horas para colonizar o períneo (espaço entre o ânus e a vagina) e adentrar a uretra. Durante o xixi, o jato urinário, mecanicamente, empurra as bactérias para fora e a urina lava a região, impedindo a infecção. Mas se demorar muito tempo para fazer xixi, a bactéria consegue invadir a uretra e, a partir daí, mesmo urinando, fica mais difícil de se livrar do micro-organismo.

No caso dos homens, até pode acontecer de surgir uma infecção urinária por ficar muito tempo sem fazer xixi, mas não é tão frequente. Já em médio e longo prazos, tanto para eles quanto para elas, pode ocorrer uma distensão da bexiga. As fibras musculares localizadas na parede do órgão perdem a capacidade de contrair a bexiga para ocorrer o ato de urinar. Então, na hora de fazer xixi, o órgão não consegue eliminar todo o líquido, ficando uma pequena quantidade ainda dentro da bexiga (chamado de volume residual). Isso aumenta o risco de infecção urinária e até mesmo a necessidade de passar um dreno na uretra para esvaziar a bexiga.

Além disso, é importante não forçar a saída do xixi. Quando isto acontece, o assoalho pélvico —que precisa estar relaxado para que o órgão libere a urina — é contraído, o que causa uma resistência na eliminação do xixi. Para quem faz isso sempre, após alguns anos pode levar a momentos de dor na bexiga e o órgão também pode passar a funcionar somente com o comando de força muscular. Já no final do xixi é normal que ocorra um certo esforço abdominal para que saia o resto da urina, mas é pouco eficaz, porque a bexiga está trabalhando exatamente para eliminar todo o volume de líquido que está dentro dela, esvaziando-a por completo.

Do que é composta a urina?

Os rins funcionam como um filtro de nosso sangue, retirando as impurezas e eliminando-as diluídas em água, esta é a urina. São muitas as substâncias que compõem o xixi. A principal delas é a ureia, que vem da metabolização das proteínas. Mas também são encontrados elementos como sódio e potássio e moléculas mais complexas, como o ácido úrico e o oxalato. Por isso, lembre-se sempre: deu vontade de urinar, não segure por muito tempo e corra para o banheiro.

Fontes: Alex Meller, urologista da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) e do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo; Alexandre Pupo, ginecologista e obstetra do Hospital Sírio Libanês e Hospital Albert Einstein, ambos em São Paulo; Alfredo Canalini, secretário-geral da SBU (Sociedade Brasileira de Urologia).

Quais são suas principais dúvidas sobre saúde do corpo e da mente? Mande um email para pergunteaovivabem@uol.com.br. Toda semana, os melhores especialistas respondem aqui no VivaBem.

Pergunte ao VivaBem