PUBLICIDADE
Topo

Cultura e lazer

Viva a cidade. Saboreie experiências.


Cultura e lazer

A SP da youtuber Jout Jout inclui bar de refugiados e "japonês quentinho"

A youtuber Jout Jout - Reprodução/Youtube
A youtuber Jout Jout Imagem: Reprodução/Youtube

Fernanda Carpegiani

Colaboração para o Urban Taste, em São Paulo

07/08/2018 04h00

"Pareceu uma boa ideia na hora." É assim que a youtuber Julia Tolezano, a Jout Jout, define a mudança de Niterói, no Rio de Janeiro, para São Paulo capital. Dona do canal Jout Jout Prazer, que tem mais de 1,8 milhão de inscritos, ela veio morar na cidade há dois anos porque queria sair da casa dos pais e já tinha familiaridade com São Paulo.

Na verdade, sua conexão com a cidade foi sendo construída aos poucos. "Primeiro eu achava a cidade muito hostil e nada amigável. Depois eu comecei a conhecer gente, fui fazendo alguns amigos, e, de repente, ficou amigável demais. Acho que o que faz você gostar de São Paulo são as pessoas que você conhece aqui, porque junta muita gente de lugares diferentes", explica.

Antes de se estabelecer em solo paulistano, ela acreditava que a cidade era "meio cinzinha". "Aí eu fui descobrindo que tinha várias cores, cinza inclusive", conta Julia, que se diz "caseirinha". Seu programa favorito é "jogar um buraquinho e tomar um café com bolinho" em casa -- na sua ou na dos amigos.

Veja também:

Apesar de preferir o aconchego do lar, ela tem um hábito curioso com ares de cidade do interior: pegar uma cadeira de praia, sentar na calçada e tomar café da manhã "dando tchau" para os transeuntes. "A minha calçada é muito ‘tranquilona’, então eu vivo a cidade assim."

Claro que Jout Jout também tem seus lugares preferidos para sair e comer coisas maravilhosas. Confira as indicações dela:

Al Janiah 
Al Janiah - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

"É ótimo para comer uns troços maneiros, a comida é muito maravilhosa e o clima é gostoso. É um bar de refugiados, então você chega e escreve seu nome numa língua que você não conhece." Metade dos funcionários da casa é de refugiados da Palestina e Síria, imigrantes de Cuba e Argélia e militantes antifascistas, nordestinos e sulistas. Além de bar e restaurante, o Al Janiah é também um centro cultural árabe, onde acontecem apresentações musicais e cursos.

Vai lá:
Rua Rui Barbosa, 269, Bela Vista.
Terça a quinta, das 18h às 0h30. Sexta e sábado, das 18h às 2h.
Mais informações no Facebook.

Mundo Pensante 
Mundo Pensante - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

"Sempre que eu saio vou pro Mundo Pensante, porque é onde tem as festinhas e showzinhos das bandas que eu gosto. Eu sempre rodo, rodo e acabo lá", diz. O lugar fica em frente à praça Don Orione, ao lado da Escadaria da Rua Treze de Maio, e abriga música ao vivo, festas, coletivos de arte e outros eventos culturais.

Vai lá:
Rua Treze de Maio, 830, Bela Vista.
Segunda das 15h às 22h. Terça, quinta e sexta, das 14h às 21h e das 22h às 6h. Sábado das 23h às 6h.
Mais informações no Facebook.

Dona Vitamina 
Vitamina de açaí, do Dona Vitamina - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

"Para tomar um bom café da manhã. Amo a vitamina de açaí." A mistura boa custa R$ 28 e o restaurante tem a proposta de unir alimentação saudável com diversão e sabor. Eles também servem saladas, pratos, lanches, sucos e doces. Vale dizer que o canudo da foto é biodegradável!

Vai lá:
Rua Mateus Grou, 152, Pinheiros.
Segunda a sexta, das 7h30 às 20h. Sábado das 7h30 às 19h. Domingos e feriados, das 9h às 18h.
Telefone: (11) 3063-0582

Izakaya Matsu 
Izakaya Matsu - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

"Eu chamo de japonês quentinho, porque é um japonês que não tem sushi e sashimi. É muito bom, tem que ir e pedir um lámen, um tchampon, um tebasaki". Para quem não conhece, izakaya (se fala "izacaiá") é um tipo de boteco japonês, que serve petiscos e pratos quentes. O lámen é o prato mais tradicional e mais pedido, custa R$ 38, e o tchampom, que é a versão do lámen com frutos do mar, é R$ 42. O tebasaki é a asinha de frango e custa R$ 25.

Vai lá:
Avenida Pedroso de Morais, 403, Pinheiros.
Segunda a sexta-feira, das 11h30 às 14h30 e das 18h às 23h. Sábado das 18h às 23h.
Telefone: (11) 3812-9439
Mais informações no Facebook.

Polska 295 
Polska 295 - Fernanda Carpegiani / UOL - Fernanda Carpegiani / UOL
Imagem: Fernanda Carpegiani / UOL

"Lá tem a maldade de chocolate, uma sobremesa que as pessoas têm que comer. Maldade de chocolate… Olha esse nome! Inclusive eu fui eleita a embaixadora da maldade por eles", lembra Jout Jout. O restaurante é polonês, e o prato, que custa R$ 17, leva brownie, flor de sal, sorvete de chocolate italiano e calda quente de chocolate caseiro.

Vai lá:
Rua Simão Álvares, 295, Pinheiros.
Segunda a sexta, das 9h às 22h. Sábado, das 9h às 20h.
Telefone: (11) 3360-8090

"Feijoada do Seu Miranda" (Lanches Canetão) 
Feijoada do Seu Miranda - Fernanda Carpegiani / UOL - Fernanda Carpegiani / UOL
Imagem: Fernanda Carpegiani / UOL

"Do lado do Polska é o Seu Miranda, que tem a melhor feijoada de São Paulo, a meu ver." Como já é tradição na cidade, a feijoada do boteco é servida às quartas e sábados, a partir das 11h. A pequena custa R$ 25 e a grande R$ 37.

Vai lá:
Rua Simão Álvares, 285, Pinheiros.
Aberto todos os dias até aproximadamente as 21h.
Telefone: (11) 3891-2065

Cultura e lazer