Topo

Após polêmica, cidade de MG cancela show de Gusttavo Lima de R$ 1,2 milhão

Gusttavo Lima receberia o maior e único cachê acima de R$ 1 milhão para show em cavalgada na cidade mineira Imagem: Reprodução/ Instagram @gusttavolima

De Splash, em São Paulo

28/05/2022 21h28Atualizada em 29/05/2022 19h58

A Prefeitura de Conceição do Mato Dentro (MG) anunciou que o show de Gusttavo Lima, previsto para o dia 20 de junho, com um cachê de R$ 1,2 milhão, está cancelado. Também foi adiada a apresentação da dupla Bruno e Marrone, marcada para a mesma data.

Em comunicado oficial, a Prefeitura explicou que o motivo do cancelamento seria a tentativa de "guerra política e partidária que não tem nenhuma ligação com o município e nem tampouco com a tradicional festa" do Jubileu do Senhor Bom Jesus de Matosinhos.

O prefeito da cidade mineira, Zé Fernando (MDB), compartilhou um vídeo em que comenta a situação e lamentou a necessidade de "adiar" a apresentação de Gusttavo Lima.

"Precisaremos adiar a vinda do 'Embaixador'. Tentaram envolver a nossa cidade e a minha honra pessoal em questões que não nos representam", afirmou.

O contrato estabelece uma multa de 50% do valor total, caso a apresentação fosse adiada ou cancelada. No ato de assinatura do documento, Gusttavo Lima já recebeu R$ 600 mil, sendo assim não precisará devolver o dinheiro recebido.

Em nota oficial, a prefeitura da cidade mineira afirma que ainda não fez nenhum pagamento ao cantor Gusttavo Lima e que a multa prevista em contrato não será paga.

Assim como no posicionamento oficial, o prefeito argumenta que outros artistas importantes, como Zezé di Camargo e Luciano, César Menotti e Fabiano, e Maiara e Maraisa, estiveram na cidade para apresentações nos últimos anos.

Procurado por Splash, o MPMG (Ministério Público de Minas Gerais) informou que foi feita uma representação "questionando a regularidade da utilização de valores para pagamento de despesas durante a festividade".

Em contato com a reportagem, a Prefeitura de Conceição do Mato Dentro informou não existir previsão de reagendamento dos artistas no município. Procurado por meio de sua assessoria de imprensa, Gusttavo Lima e equipe ainda não se pronunciaram sobre o assunto.

A prefeitura utilizou recursos recolhidos de CFEM (Compensação Financeira pela Exploração Mineral), que são distribuídos aos Estados, Distrito Federal, Municípios e órgãos da administração da União, para pagar o show.

O valor poderia ser aplicado em projetos que revertam em benefícios da comunidade local, seja em melhoria da infraestrutura, da qualidade ambiental, da saúde ou educação.

Em nota, a prefeitura informou que "não há restrição para uso dos recursos da CFEM em ações, projetos e eventos que tragam melhoria para a qualidade de vida dos moradores locais, seja ele investido em estruturas como moradias, infraestrutura pública, saneamento básico, etc. ou investido para o desenvolvimento econômico da cidade".

Confira o comunicado na íntegra:

A Prefeitura de Conceição do Mato Dentro informa que, devido a lamentável tentativa de envolver a 30ª Cavalgada do Jubileu do Senhor Bom Jesus de Matosinhos em uma guerra política e partidária que não tem nenhuma ligação com o município e nem tampouco com a tradicional festa, está cancelada a participação do cantor Gusttavo Lima e da dupla Bruno e Marrone no evento.

As festividades da Cavalgada representam dentro do Jubileu do Senhor Bom Jesus de Matosinhos uma renovação de fé, esperança e amor. E com essa credibilidade o município recebeu diversos artistas renomados em edições anteriores, como Zezé di Camargo e Luciano, César Menotti e Fabiano, e, Maiara e Maraisa. Portanto, para preservar essa história e tradição, a administração optou por adiar a participação de Gusttavo Lima e Bruno e Marrone, que virão em uma próxima oportunidade.

A administração não permitirá o envolvimento da Prefeitura em questões que não representam o município e nem as festividades da cavalgada que é a celebração, sobretudo, do amor entre as pessoas e não o ódio que estão tentando disseminar. A festa também é importante para a economia do município e de toda região e será mantida, preservando a paz.

Entenda o caso

O show de Gusttavo Lima no município mineiro, acordado em 11 de abril, tornou-se alvo de pedido de investigação no MPMG. O cantor receberia um cachê de R$ 1,2 milhão, o maior pago pelo município entre as contratações divulgadas no site oficial.

No contrato disponível na página da prefeitura, algumas obrigações chamaram a atenção, como a exigência de que a administração municipal seja responsável financeira pela "hospedagem no melhor hotel da região para 40 (quarenta) pessoas" da equipe do cantor.

Também foi exigido o "pagamento das diárias de alimentação da equipe técnica e banda, fixada em R$ 4 mil. O valor deveria ser pago em espécie, diretamente ao produtor da equipe de shows no dia da apresentação artística". A contratada é a Balada Eventos e Produções LTDA, empresa que representa Gusttavo Lima.

Ao todo, a prefeitura contratou R$ 2.340.000,00 (dois milhões, trezentos e quarenta mil reais) em shows através da Secretaria Municipal de Turismo, conforme é possível ver no site os contratos de seis, dos 16 shows programados.

O show de Gusttavo Lima representava mais de 50% desse valor, seguido pelos artistas Bruno e Marrone (R$ 520 mil), Israel e Rodolffo (R$ 310 mil), Di Paulo & Paulino (R$ 120 mil), João Carneiro (R$ 100 mil) e Thiago Jhonathan (R$ 90 mil).

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Após polêmica, cidade de MG cancela show de Gusttavo Lima de R$ 1,2 milhão - UOL

Obs: Link e título da página são enviados automaticamente ao UOL