PUBLICIDADE

Topo

UOL Play

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Conheças as diferenças entre o livro e a série de O Conto da AIA

Conheças as diferenças entre o livro e a série de O Conto da AIA - uol play
Conheças as diferenças entre o livro e a série de O Conto da AIA
Imagem: uol play
UOL Play

Um Universo de conteúdo para assistir do seu jeito: aqui quem escolhe o que quer assistir é você. São milhares de conteúdos sob demanda e muita programação ao vivo com diversão garantida para toda a família. Curta os sucessos do cinema, séries premiadas, shows empolgantes, desenhos para a criançada, notícias, esportes ao vivo e produções originais do UOL!

Colunista do UOL

29/06/2022 17h13

Imagine um mundo em que as pessoas já não se reproduzem mais. Homens e mulheres estão ficando estéreis e a culpa recaí sobre elas, que involuntariamente ganham mais liberdade. Tudo vai bem até que um grupo extremista retira os direitos femininos, obrigando-as a cumprirem o seu "dever biológico". Esse é o enredo de O conto da Aia. O conto da Aia ou The Handmaid 's Tale, narra um romance distópico e futurista escrito em 1985 por Margaret Atwood. A obra literária está entre as mais aclamadas e discutidas da autora.

Longos anos se passaram até que em 2017 ela fosse adaptada para uma série, sendo lançada inicialmente no canal de streaming Hulu. E caso você esteja se questionando onde assistir The Handmaid's Tale no Brasil... fique tranquilo, é claro que UOL Play deu um jeitinho de trazê-la para perto de você.

Você já pode assistir às temporadas de O Conto da Aia no conforto da sua casa aproveitando essa parceria que é tudo de bom.

E não só isso, né? No UOL Play você encontra essas e mais séries, filmes, desenhos, shows e canais ao vivo de montão. É só dar um pulinho lá para escolher qual será o entretenimento de hoje.

Descubra as diferenças entre o livro e a série O Conto da AIA

Sabemos que você está aqui mesmo para conhecer as diferenças entre o livro e a série de O Conto da Aia, certo? Então, sem mais delongas, vamos explorar o que há de tão diferente entre essas versões contadas da mesma história.

1. Aprofundamento dos personagens

A forma como os personagens são explorados é o primeiro ponto observado como diferença entre o livro e o conto da Aia série. Sobre o livro, ele é todo narrado pela perspectiva de Offred, fazendo com que o leitor compreenda a trama por meio do ponto de vista dela. Já a série se aprofunda bem mais nesse sentido. Isso porque ainda que ela continue sendo a personagem principal, o espectador compreende as situações vividas também "pela pele" de outros personagens.

Diferentemente do livro, na sequência é possível observar alguns detalhes antes do golpe de Gilead, que tornou as mulheres propriedades do estado. Entre eles está o fato de Nick ter aceitado o trabalho por necessidade e Rita já ter sido mãe.

2. As várias facetas de Serena Joy

A esposa de Fred Waterford, Serena Joy, é uma relevante peça na história do golpe. Isso porque defendia a reprodução como um dever feminino. Consequentemente, ela teve papel importante para que o grupo extremista se sentisse confiante em seguir em frente. Salvo algumas menções muito superficiais, no livro ela praticamente não aparece.

Já na série, a personagem vai além de uma simples vilã. Ela ganha rosto e personalidade, além de caráter duvidoso. Suas atitudes e escolhas, muitas delas sujas, ganham vida ao longo dos episódios. Sua relação com June e complexidade da personalidade se destacam na série, especialmente na segunda temporada.

3. O nome de Offred

Na trama de Atwood, as Aias "perdem" seu nome original e passam a viver apenas para fins reprodutivos. Quando designadas a um casal, elas ganham um novo.

A denominação é estabelecida pela junção do sufixo "of", que significa posse, seguido do primeiro nome do marido, o homem da casa. Nesse sentido, Offred, então, quer dizer "De Fred".

Vale aqui lembrar que, ao longo da trama, as mulheres são obrigadas a esquecer seus nomes. Offred, no entanto, traz referências ao seu verdadeiro nome em vários momentos.

A autora da obra confirma que o seu nome original é, na realidade, "June". Pode parecer um detalhe pouco expressivo. Mas ao longo da história, o nome se mostra uma verdadeira arma, além de uma forma de resistir contra o regime.

4. Novos cenários são explorados

Mais uma diferença expressiva entre a série e o conto da Aia livro tem relação com os cenários. Assim como pudemos observar em relação aos personagens, no livro, os acontecimentos e cenários também partiam de Offred (ou June).

E convenhamos que não há muita emoção na vida das Aias. Elas passam as horas, dias e semanas em casa e só podem sair para ir ao mercado. Pior do que isso, não possuem privacidade: devem estar sempre acompanhadas de outra Aia. Com isso, havia poucos detalhes sobre outros lugares, que acabam sendo melhor explorados na série.

Um exemplo de cenário que ganha vida na série e que surpreende os leitores é o das colônias. Para lá, eram enviadas as mulheres "rebeldes". Nesse espaço eram obrigadas a trabalhar com toxinas e sem qualquer espécie de proteção. Assim, morriam de maneira dolorosa e lenta.

5. June da série VS June do livro

Ao longo de O Conto da Aia, os sentimentos e pensamentos de June são sempre colocados à tona. O leitor tem acesso à sua vida antes do golpe e compreende como ela vê aquilo como horrível.

Não há como negar, no entanto, sua passividade em relação aos acontecimentos. Tem noção da barbaridade que está acontecendo: mas não faz nada para mudá-la. É como se simplesmente aceitasse que aquela era, agora, sua realidade.

Na série, seu comportamento é outro. A personagem continua obedecendo às ordens, fato, mas não se deixa conduzir. Ela busca saídas, ajuda outras Aias, tem atitude e joga com o sistema. É uma nova June, disposta a correr riscos e encontrar uma solução para o destino cruel que vive.

6. Questões de diversidade são abordadas

No livro, questões de sexualidade ou raça passam quase que batidas. Apenas sabe-se que Moira é gay, mas não há sequer exploração sobre essa temática.

Na série, compreendemos que o homossexualismo é crime em Gilead. E as personagens Ofglen e Moira trazem à tona essas questões. Além disso, negros também são vistos pelas telinhas, diferente das descrições do livro.

7. Como Gilead é vista no restante do mundo

No livro conto da Aia, pouco se sabe sobre relações externas.

Como o mundo está vendo aquela barbaridade?

De forma bem maquiada, podemos responder. Os ditadores querem espalhar o totalitarismo vivido em Gilead para outros lugares, mas não mostram a verdadeira realidade.

E se por um lado chamam a atenção do México, criam atrito com o Canadá. Neste sentido, é interessante observar como a trama se desenrola no que se refere às relações internacionais.

UOL Play reúne a melhor seleção de séries para você maratonar

Esperamos que você esteja pronto para continuar (ou começar) a assistir o conto da Aia.

Você com certeza não vai se arrepender - principalmente caso tenha lido a obra de Margaret Atwood. Respondendo ainda quando estreia a 4ª temporada de The Handmaid's Tale, saiba que ela já chegou aos principais streamings.

Esperando o que para acessar esse universo de conteúdo?

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL