PUBLICIDADE
Topo

CarnaUOL

X-9 Paulistana é campeã do Grupo de Acesso e volta à elite do Carnaval

Desfile da X-9 Paulistana, campeã do Grupo de Acesso do Carnaval de São Paulo - Peter Leone/futura Press/Futura Press/Folhapress
Desfile da X-9 Paulistana, campeã do Grupo de Acesso do Carnaval de São Paulo Imagem: Peter Leone/futura Press/Futura Press/Folhapress

Alessandro Gil Reis

Colaboração para o UOL

28/02/2017 22h30

Depois de terminar o desfile de 2016 em último lugar e ser rebaixada no Carnaval de São Paulo, a X-9 Paulistana se redimiu e levou o título do Grupo de Acesso de 2017, carimbando o passaporte de volta ao Grupo Especial, com 269,2 pontos. O vice ficou com a Independente Tricolor em uma apuração apertada -- a exemplo do Grupo Especial -- decidida no desempate com a Colorado do Brás na votação do último jurado no último quesito, o samba enredo. As duas fecharam com 268,9.

André dos Santos Filho, o presidente da X-9, comparou o título deste ano com o nascimento de um filho, e o rebaixamento de 2016 com a perda de um ente querido. Ele relembrou o desfile desastroso do ano passado, quando a agremiação teve problemas na comissão de frente e no carro abre-alas, encarando como uma lição para dar a volta por cima. "Ficou uma lição, nossos problemas em 2016 foram de estrutura, e não técnicos. Tivemos de lidar com ego, vaidade, precisamos trabalhar isso. Imagine o que a gente passou este ano. Nós repensamos, reavaliamos e voltamos com a parte técnica para o lugar de onde nunca deveríamos ter saído" desabafou, ressaltando o desafio de desenvolver um enredo "difícil": "Vim, Vi e Venci! A Saga Artística de um Semideus". 

Já a Independente Tricolor conseguiu pela primeira vez, em apenas seis anos de história, ir para a elite do Carnaval paulistano, com o enredo "É Mentira!". A conquista do vice-campeonato veio após muita tensão, disputando décimo a décimo com a Colorado do Brás, terceira colocada. "A gente trabalhou muito por esse momento. Sabíamos que seria um Carnaval acirrado. Logo depois da apuração do Grupo Especial, a gente viu que ia sofrer muito. A X-9 está de parabéns pelo título. A Independente é uma escola nova, tem seis anos só, é a mais nova do Carnaval. Em seis anos, chegamos ao Grupo Especial, depois de vencermos em todos os grupos", comemorou Pê Santana, vice-presidente da Independente, citada por ele como "a maior família tricolor do Brasil", vinculada à torcida do São Paulo.

"É uma vitória da comunidade, chegamos para não cair mais", analisou. A apuração do Grupo de Acesso transcorreu com relativa tranquilidade e foi interrompida duas vezes: a primeira por conta da forte chuva e a segunda devido a um problema no telão que mostrava as notas. Um breve momento de tensão aconteceu quando Mestre Zulu, o integrante da Liga responsável pela leitura das notas, pulou a nota de uma das agremiações por engano. Em outra ocasião, ele se enganou ao cantar uma nota da Pérola Negra e corrigiu em seguida, diminuindo o valor, e a Liga teve de esclarecer que não havia rasura na nota para a leitura prosseguir. A Pérola Negra, que foi rebaixada em 2016 juntamente com a X-9, ficou em sexto lugar e não conseguiu voltar ao Grupo Especial.

A escola de samba Estrela do Terceiro Milênio foi a última colocada, sendo rebaixada para o Grupo 1.

28.fev.2017 - Diretoria da X-9 Paulistana comemora nota na apuração dos desfiles das escolas de samba do Grupo de Acesso de São Paulo - Alice Vergueiro/ Folhapress - Alice Vergueiro/ Folhapress
Diretoria da X-9 Paulistana comemora nota na apuração dos desfiles das escolas de samba do Grupo de Acesso
Imagem: Alice Vergueiro/ Folhapress

CarnaUOL