Topo

O que leva mestres-salas e porta-bandeiras a "desabar" ao fim do desfile?

Porta-bandeira da Dragões da Real passa mal depois de desfile - Mariana Pekin/UOL
Porta-bandeira da Dragões da Real passa mal depois de desfile Imagem: Mariana Pekin/UOL

Alessandro Gil Reis

Colaboração para o UOL

26/02/2017 09h56

Emoção de terminar mais um desfile, responsabilidade de ser um dos quesitos avaliados pelos jurados, desgaste físico, calor. Uma combinação de fatores pode levar mestres-salas e porta-bandeiras ao limite na avenida.

Na noite deste sábado (25), em São Paulo, pelo menos três integrantes de escolas passaram mal ao final dos desfiles: o primeiro casal da Império de Casa Verde, Rodrigo Antônio e Jéssica Gioz, e a terceira porta-bandeira da Dragões da Real, Giulia Guimarães.
 
Ao UOL, Rodrigo disse que o calor e a emoção foram responsáveis pelo mal-estar. "O desfile foi tranquilo. Foi uma queda de pressão por causa do calor. Foi depois da faixa amarela [no final da avenida] que a gente passou mal. Foi mais emoção do que outra coisa", falou o mestre-sala, já recuperado.
 
Rodrigo e Jéssica, primeiro casal da Império, passaram mal ao fim do desfile - Amanda Perobelli/UOL
Rodrigo e Jéssica, primeiro casal da Império, passaram mal ao fim do desfile
Imagem: Amanda Perobelli/UOL
 
Companheira de Rodrigo na avenida, Jéssica teve mais um agravante: 40kg de fantasia nas costas. Com um figurino bem mais leve do que a da colega da Império, Giulia também creditou o susto à emoção. 
 

Preparação intensa

Principal casal da Vai-Vai, Pingo e Paulinha passaram por uma "preparação intensa" ao longo do ano para encarar o grande dia na avenida.
 
Pingo, mestre-sala da Vai-Vai - Alessandro Gil Reis/UOL
Pingo, mestre-sala da Vai-Vai
Imagem: Alessandro Gil Reis/UOL
 
"A gente encarou uma preparação intensa para desempenharmos bem nosso papel. Muita academia, treinos físicos exaustivos", disse Pingo ao UOL, no final do desfile da Vai-Vai, depois de ser recebido por integrantes da escola com copos de água para matar a sede. 
 
Nos ensaios, eles usam as fantasias do Carnaval anterior, para se acostumarem com o peso da roupa. Mesmo assim, Paulinha garante que nunca quer saber quantos quilos carrega no corpo para "não mexer no emocional". 
 

Mais CarnaUOL