PUBLICIDADE
Topo

CarnaUOL

Mangueira coroa Maria Bethânia em show em SP: "Sou a menina de Oyá"

Mateus Araujo

Colaboração para o UOL, em São Paulo

15/02/2017 23h20

A Mangueira coroou Maria Bethânia como sua rainha. Tema do samba-enredo vencedor de 2016, a baiana foi celebrada pela escola carioca no Show de Verão na noite desta quarta (15), no Tom Brasil, em São Paulo.

Maria Bethânia abriu a noite de festa, cantando "Emoções", de Roberto Carlos, num visível agradecimento ao carinho da agremiação carioca. Alegre e festiva, a baiana ainda cantou "Embelezou" e "Reconvexo", músicas do repertório do seu show de 50 anos de carreira, “Abraçar e Agradecer”.

Na noite de festa, para uma plateia lotada, acompanhada da bateria da Mangueira, Maria Bethânia entoou o samba campeão "A Menina dos Olhos de Oyá". "Minha Mangueira, campeã! Graças a Deus. Para sempre muito, muito obrigada, Estação Primeira de Mangueira. Axé, Mangueira", agradeceu.

No enredo do ano passado, a Mangueira celebrou Maria Bethânia como a filha de Iansã, orixá do candomblé ligada às tempestades e ventanias. "Esse enredo é uma homenagem ao meu orixá, através de mim”, explicou a cantora. “Sempre que a tristeza, a magoa ou a dor me cercar, eu me lembro: 'Quem me chamou? Mangueira! Chegou a hora, não dá mais pra segurar. Quem me chamou, chamou pra sambar. Não mexe comigo, eu sou a Menina de Oyá'”, finalizou, cantando.
 

Sincréticos

A crença brasileira em santos e orixás deu o tom de parte do Show de Verão da Mangueira — inspirado no tema do desfile da escola em 2017, "Só com a Ajuda do Santo", que faz referência ao sincretismo do nosso povo.

Após a participação de Maria Bethânia, subiram ao palco outros convidados da Mangueira para a festa. Leci Brandão, por exemplo, cantou a crença africana presente na identidade cultural do Brasil. "Não há mais espaço para a intolerância religiosa", defendeu a sambista. Mariene de Castro também saudou os orixás, numa das apresentações mais empolgantes da noite, que fez algumas pessoas se levantarem das suas cadeiras para sambar.

A fé católica também foi celebrada na noite. Fafá cantou o Sírio de Nazaré, festa que acontece anualmente em Belém do Pará, e reúne milhares de fiéis em procissão. Depois de se emocionar falando sobre a Maria, a paraense emendou com samba. “Eu que não sou sambista, mas gosto do riscado", brincou

O ritmo de Carnaval só foi quebrado com a passagem de Rosemary pelo palco, que cantou "Nossa Senhora" e "Jesus Cristo", em tom mais lento. Elba Ramalho, no entanto, deu conta de reanimar o público com forró, depois de cantar “Ave Maria” e a “Oração de São Francisco”. Elba ainda fez dueto com Fernanda Abreu, cantando música de Jackson do Pandeiro.

Um dos momentos mais esperados e ovacionados do show foi a passagem do cantor Chico Buarque, que ao entrar no palco foi recebido com gritos de “Fora Temer!”. Chico cantou seus clássicos “À Flor da Pele” e “Samba do Grande Amor”. Em seguida, recebeu Alcione num dueto da música “O Meu Amor”.

Foi a sambista quem encerrou a noite, cantando com a bateria da Estação Primeira de Mangueira.

CarnaUOL