Retira açúcar do sangue, bloqueia colesterol e aumenta energia: os benefícios do milho à saúde

Por Samantha Cerquetani

Além de saboroso, o milho é cultivado globalmente, destacando-se na culinária caipira e festas juninas, sendo versátil em receitas doces e salgadas.

Divulgação/Philips Walita

Estimando cerca de 150 espécies, o milho possui diversas cores e utilizações, desde alimentação humana até ração animal, xaropes e álcool.

Iago Fundaro

Rico em fibras, carboidratos, proteínas e vitaminas do complexo B, o milho oferece benefícios à saúde, sendo uma importante fonte energética.

iStock

Benefícios para a Visão: O milho contém carotenoides como luteína e zeaxantina, antioxidantes que protegem a retina, prevenindo degeneração macular e contribuindo para a saúde ocular.

iStock

Regulação do Intestino: Suas fibras favorecem a formação de fezes, aumentam o bolo fecal e mantêm a microbiota intestinal, melhorando o trânsito intestinal e a eliminação de resíduos.

iStock

Melhoria do Humor: Com magnésio e ácido fólico, o milho auxilia no relaxamento muscular, combate o estresse, regula neurotransmissores e promove o bom humor.

iStock

Redução do Colesterol "Ruim": As fibras alimentares do milho, solúveis em especial, contribuem para a diminuição do LDL, conhecido como colesterol "ruim", impedindo sua absorção.

iStock

Controle Glicêmico: Rico em fibras, o milho possui baixo índice glicêmico, liberando glicose de forma lenta e auxiliando no controle glicêmico, sendo benéfico para pessoas com diabetes.

iStock

Aumento da Imunidade: Com carotenoides antioxidantes, o milho fortalece a imunidade, protegendo as células contra radicais livres e prevenindo doenças como resfriados.

iStock

Benefícios da Pipoca: Derivada do milho especial, a pipoca pode ser uma opção de lanche saudável, rica em antioxidantes, desde que preparada com moderação e sem excessos de ingredientes calóricos.

Getty Images/iStockphoto

O milho é utilizado em diversas preparações culinárias brasileiras, como farinhas, pães, bolos, sorvetes, polentas, mingaus, canjica e óleo de milho.

Getty Images/iStockphoto

Consumo Consciente: Preferir o milho na espiga ou cozido é mais nutritivo do que o enlatado, que pode perder nutrientes e conter mais sódio.

iStock

O creme de milho e a pamonha são exemplos de receitas populares e saborosas que incorporam o milho.

Getty Images/iStockphoto

Consumir moderadamente, evitando adição de substâncias gordurosas; o ácido fítico no milho pode interferir na absorção de minerais, e alergias ao milho são raras, mas possíveis, com sintomas digestivos. Consultar um nutricionista é recomendado para deficiências minerais específicas.

iStock

Para mais informações, acesse VivaBem.

Getty Images/iStockphoto
Publicado em 04 de janeiro de 2024.