Além dos 7 pontos: o que as infrações gravíssimas podem causar?

Por Gustavo Fonseca

O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) classifica infrações em leves, médias, graves e gravíssimas, conforme seu grau de perigo ao trânsito e às pessoas.

Divulgação

As infrações gravíssimas são as mais temidas por suas severas consequências, incluindo multas altas e penalidades de suspensão.

Fernando Donasci/Folha Imagem

Infrações gravíssimas são as mais caras, com multas de R$ 293,47 e adição de 7 pontos na CNH, podendo ser multiplicadas até 60 vezes.

Divulgação

Transitar em velocidade 50% acima da máxima resulta em multa de R$ 880,41; Lei Seca, R$ 2.934,70; e interromper a via intencionalmente, R$ 5.869,40.

Divulgação

Algumas infrações gravíssimas, como dirigir alcoolizado, resultam em suspensão imediata da CNH, independente dos pontos acumulados.

Leandro Ferreira/Fotoarena/Estadão Conteúdo

Dirigir sob efeito de álcool ou drogas, recusar teste de alcoolemia, e disputar racha são exemplos de infrações que levam à suspensão automática da CNH.

Vinicius Pereira/Folhapress

O tempo de suspensão varia de 2 a 8 meses, podendo chegar a 18 meses em caso de reincidência no período de 12 meses.

Divulgação

Para recuperar a CNH, o motorista deve entregar o documento ao órgão competente e realizar um curso de reciclagem.

JESHOOTS.com/Pexels

A Nova Lei de Trânsito aumentou o limite de pontos na CNH para 40, mas infrações gravíssimas reduzem esse limite para 20 ou 30 pontos.

Divulgação

Entre as infrações gravíssimas mais cometidas estão dirigir sem CNH, avançar sinal vermelho, estacionar em vaga reservada, e transitar em faixa exclusiva para ônibus.

Divulgação

Para saber mais, acesse UOL Carros.

Fernando Donasci/Folha Imagem
Publicado em 10 de julho de 2024.