Fruta do Cerrado, baru tem bastante ferro e ajuda no controle do colesterol

Por Cecilia Felippe Nery

Pouco conhecido pela população, embora muito saudável, o baru é um fruto tipicamente brasileiro, nativo do Cerrado.

Getty Images/iStockphoto

Do fruto provém a castanha, uma oleaginosa, espécie de amêndoa, repleta de boas propriedades nutricionais e que traz benefícios sobretudo à saúde do coração.

Getty Images/iStockphoto

Entre os principais nutrientes encontram-se lipídios, proteínas, fibras, vitaminas (C e E), minerais (boro, zinco, cobre, manganês e magnésio) e ácidos graxos (oleico, linoleico).

Getty Images/iStockphoto

Veja mais benefícios a seguir.

Camila Araujo/ISPN

1. Ajuda no controle do colesterol em função dos elevados teores de ácidos graxos insaturados, principalmente ácido graxo oleico, fibras dietéticas e fitoesteróis.

Getty Images/iStockphoto

2. Auxilia na manutenção do peso em função da junção das fibras e dos compostos bioativos que, juntos, são responsáveis por melhorarem a saciedade.

Getty Images/iStockphoto

3. Substâncias bioativas como compostos fenólicos e tocoferóis têm a capacidade de recuperar e neutralizar os radicais livres, prevenindo o envelhecimento precoce.

Getty Images/iStockphoto

4. O óleo do baru também age como um ótimo hidratante para a pele e atenua a presença de estrias. Protege dos raios solares e regenera a pele deformada por queimaduras.

Conab/divulgação

5. Seu consumo também está associado à diminuição de inflamações e de doenças neurodegenerativas.

Camila Araujo/ISPN

6. A castanha do baru apresenta alta porcentagem de ferro, por isso é uma forma de auxiliar na prevenção da anemia.

Getty Images/iStockphoto

7. O consumo da castanha torrada, ou da paçoca/farinha, diminui dores nas articulações, como por exemplo a bursite.

Getty Images/iStockphoto

A polpa e a amêndoa são comestíveis. O sabor da amêndoa é agradável e menos acentuado do que o amendoim, sendo consumida de diversas formas.

Getty Images/iStockphoto

De acordo com o conhecimento dos povos tradicionais do Cerrado, as cascas e as folhas da árvore também podem ser utilizadas como chás.

Conab/divulgação
Publicado em 28 de fevereiro de 2024.