Extrai colesterol do sangue, alivia rinite e reduz risco de câncer: os 5 benefícios da pimenta para saúde

Por Patricia Beloni

A pimenta é uma planta com diversas espécies, como Capsicum e Piper, cada uma com variações de sabor e ardência. No Brasil, destaca-se a pimenta-do-reino e a Capsicum, conhecida por seu sabor "ardido".

iStock

A pimenta-do-reino, originária da Ásia, possui diferentes colorações (preta, branca, verde e vermelha). Existem também outras variedades, como a pimenta rosa, obtida da planta aroeira.

iStock

A ardência da pimenta vem de componentes como capsaicina e piperina. A capsaicina, presente nas pimentas vermelhas, estimula o metabolismo local, enquanto a piperina, na pimenta-do-reino, causa ardência pela ação causticante.

Milena De Caria / EyeEm

Rica em vitaminas A, B1, B2, C, K, niacina e flavonoides, a pimenta possui propriedades antioxidantes, analgésicas, antibacterianas e anti-inflamatórias.

Getty Images/iStockphoto

Pesquisas indicam propriedades analgésicas da pimenta, aliviando dores causadas por neuropatias e ajudando em descongestão nasal, sintomas de rinite e problemas circulatórios.

iStock

O consumo de pimenta estimula receptores sensíveis, acelerando o metabolismo e liberando endorfinas, proporcionando sensação de bem-estar, aumento do fluxo sanguíneo e melhora do sistema imunológico.

iStock

Estudos sugerem que a capsaicina presente na pimenta pode ajudar no controle do colesterol LDL devido às suas ações anti-inflamatória e antioxidante.

iStock

A liberação de endorfina pela pimenta também contribui para aumentar a saciedade durante as refeições, auxiliando na redução do consumo de calorias e gorduras.

iStock

Pesquisas indicam que a capsaicina pode ter propriedades antioxidantes e ajudar na prevenção do câncer, induzindo a apoptose em células cancerosas.

iStock

Algumas variedades de pimenta incluem a pimenta-do-reino, caiena, rosa, de cheiro, dedo-de-moça, malagueta, jalapeno, entre outras, cada uma com características distintas.

iStock

Existe uma escala chamada Escala de Scoville que mede o nível de ardência das pimentas. A Carolina Reaper (foto), por exemplo, é considerada a mais ardida, com 2.200.000 unidades de calor.

Catalin Lungu/Getty Images/iStockphoto

Cada tipo de pimenta oferece benefícios únicos. A pimenta-do-reino auxilia na digestão, enquanto a caiena é rica em capsaicina. A pimenta rosa tem propriedades antioxidantes, e a dedo-de-moça contribui para a imunidade.

iStock

O consumo excessivo de pimentas pode causar irritações na mucosa gástrica, refluxo, azia, entre outros problemas. Portadores de doenças gástricas e hipertensão descontrolada devem evitar.

iStock

Pessoas sem contraindicações podem consumir pimenta uma ou duas vezes por dia. Portadores de doenças específicas devem evitar o consumo, e a forma de consumo fresco é a mais benéfica.

Getty Images

Para mais informações, acesse VivaBem.

iStock
Publicado em 24 de novembro de 2023.