Costuma requentar alimentos? Saiba razões para evitar a prática

Por Splash

Frequentemente, cozinhar em grandes quantidades é uma solução prática para facilitar a rotina, permitindo consumir as porções ao longo da semana.

Getty Images/iStockphoto

No entanto, será que reaquecer as sobras de comida pode representar riscos à saúde?

FG Trade/Getty Images

Dependendo da maneira de preparo e armazenamento, os alimentos podem se tornar mais suscetíveis à proliferação de microrganismos causadores de intoxicação alimentar.

iStock

Este problema é bastante comum e provoca diversos sintomas desagradáveis, como diarreia, cólicas, gases e vômitos. Em casos extremos, pode até matar.

iStock

De forma geral, os alimentos não podem ficar sem refrigeração adequada. Outro ponto é a diminuição do valor nutricional, que se perde quando o alimento é aquecido muitas vezes.

Getty Images

A seguir, veja alimentos que proporcionam mais riscos se forem requentados.

iStock

Arroz

A situação fica mais perigosa quando ele não é cozido integralmente e alguns grãos permanecem crus. Isso, associado a uma temperatura morna, aumenta o risco de contaminação.
Getty Images/EyeEm

Ovos

Se armazenado ou preparado de forma inadequada, há risco de proliferação bacteriana.
Getty Images/iStockphoto

Carnes e frutos do mar

São itens propensos à contaminação bacteriana e devem ser consumidos logo após o preparo.
Getty Images

Espinafre cozido e beterraba

Têm altos níveis de nitratos, que, ao serem requentados, transformam-se em nitritos. Estes compostos fazem mal à saúde, além de terem relação com o risco de câncer em longo prazo.
iStock

Preparações com tomate, cebola e pimentões

Esses alimentos são fermentativos e podem azedar durante o armazenamento ou ao requentar as preparações.
iStock

Alimentos ricos em proteína

É o caso de feijão, lentilha e castanhas. Como são alimentos ricos em proteínas, gorduras, vitaminas e minerais e têm alta umidade, são mais perecíveis.
iStock

Molhos à base de leite e massas

Esses itens também favorecem a proliferação de microrganismos pela variação de temperatura e maior risco de contaminação cruzada com outros alimentos.
Getty Images

Apesar de ser mais prático, o micro-ondas não aquece a comida de forma homogênea. Isso pode favorecer o acúmulo de microrganismos que causam intoxicação.

iStock
Publicado em 17 de junho de 2024.