UOL esporte

  • http://esporte.uol.com.br/futebol/copa-2014/ultimas-noticias/2011/10/07/conselho-deliberativo-cobra-andres-e-critica-itaquerao-como-caixa-preta.htm
  • Conselho Deliberativo do Corinthians cobra Andrés e critica Itaquerão como "caixa preta"
  • 04/07/2020
  • UOL Esporte - Futebol
  • UOL Esporte
  • @UOLEsporte @UOL
  • 2
Tamanho da letra
Futuro estádio do Corinthians, Itaquerão recebe as primeiras vigas e colunas de suporte

Futuro estádio do Corinthians, Itaquerão recebe as primeiras vigas e colunas de suporte

07/10/2011 - 21h27

Conselho Deliberativo do Corinthians cobra Andrés e critica Itaquerão como "caixa preta"

Do UOL Esporte
Em São Paulo

O Conselho Deliberativo do Corinthians resolveu cobrar Andrés Sanchez sobre o Itaquerão. Através de nota oficial, assinada pelo presidente Carlos Senger, os dirigentes do clube alvinegro assinalam a intenção de receber mais informações sobre o estádio. A arena é a provável sede de abertura da Copa do Mundo de 2014 e está no centro de polêmicas sobre o real custo final da obra. O Conselho Deliberativo fala em “caixa preta” e critica a postura pouco “cristalina” de Andrés.

TUDO SOBRE A VOLTA DO IMPERADOR

Adriano revela insegurança e pede calma: "Não tenho condição de fazer o que fazia antes" Veja
Imperador diz que "cresceu como homem" após lesões e revela apoio de Ronaldo Leia mais
Médico diz que Adriano está 3 kg acima de seu peso ideal e suporta de 30 a 45 min Confira

O mandatário alvinegro, em entrevista à revista Época, gerou polêmica quando questionado sobre o valor da arena que está sendo construída na Zona Leste de São Paulo. “Quem fez o estádio fui eu e o Lula. Garanto que vai custar mais de R$ 1 bilhão. Ponto. A parte financeira ninguém mexeu. Só eu, o Lula e o Emílio Odebrecht [presidente do Conselho de Administração da Odebrecht]”, comentou o cartola.

Após a publicação da conversa, Andrés negou as declarações. O Conselho Deliberativo do Corinthians, porém, resolveu reagir. Os dirigentes afirmam querer obter informações básicas sobre o Itaquerão, não somente por curiosidade. “Os conselheiros têm não só o direito, como o dever de conhecer em todas as minúcias o tipo de operação que o clube está fazendo”, explica a nota.

Iniciadas em maio, as obras seguem sem o financiamento-padrão do BNDES, de R$ 400 milhões. No total, a nova arena corintiana poderá custar mais de R$ 1 bilhão somando taxas bancárias, assentos removíveis e empréstimo.

“É preciso que o presidente Sanchez entenda que uma de suas obrigações estatutárias é justamente prestar informações ao Conselho Deliberativo sobre o que lhe é arguído”, destaca a nota, que prossegue: “as negociações com a empreiteira Odebrecht e o Corinthians têm, necessariamente, que ser as mais cristalinas possíveis. O contrato a respeito não pode ser uma caixa preta”.

O Conselho ainda ataca a reação de Andrés, que teria anunciado através de seus assessores que, caso as indagações a respeito do estádio persistam, determinará a paralização imediata das obras e colocará a culpa nos conselheiros. Carlos Senger deixa um aviso ao atual presidente corintiano no final da nota.

“Como corintiano bem mais antigo que o senhor, presidente, até mesmo por uma questão de idade, experiente por ter exercido duas presidências do Conselho Deliberativo, posso lhe assegurar que não reaja de maneira intimidativa àqueles que querem apenas tomar conhecimento dos assuntos relativos ao evento”, finaliza.

Placar UOL no iPhone