UOL esporte

  • http://esporte.uol.com.br/futebol/copa-2014/ultimas-noticias/2011/08/16/banco-oferece-r-300-milhoes-para-batizar-estadio-do-corinthians-diz-jornal.htm
  • Banco oferece R$ 300 milhões para batizar estádio do Corinthians, diz jornal
  • 22/05/2024
  • UOL Esporte - Futebol
  • UOL Esporte
  • @UOLEsporte #UOL
  • 2
Tamanho da letra
Clube acredita que venderá mais caro nome do estádio quando arena crescer

Clube acredita que venderá mais caro nome do estádio quando arena crescer

16/08/2011 - 08h40

Banco oferece R$ 300 milhões para batizar estádio do Corinthians, diz jornal

Do UOL Esporte
Em São Paulo

O Corinthians busca uma empresa interessada em adquirir o direito de dar o nome ao estádio, processo conhecido por “naming right”. De acordo com o jornal Estado de S. Paulo, o clube recebeu proposta de R$ 300 milhões de um banco privado. O custo da construção da arena está estimado em R$ 890 milhões, sendo que R$ 400 milhões serão conseguidos juntos ao BNDES.

CLUBE SERÁ SÓCIO MINORITÁRIO ATÉ 2026

  • Arte UOL

    O Corinthians só será único dono do Itaquerão depois de quitar o empréstimo junto ao BNDES, que será contratado por um período de 15 anos, incluída carência de 36 meses.

Com o valor da negociação do naming right, a diretoria alvinegra pretende cobrir a linha de crédito do BNDES. A proposta do banco privado tem pontos conflitantes com o pedido do Corinthians. A empresa quer fechar acordo por 20 anos; o clube pretende firmar vínculo por 15 anos.

A diretoria argumenta que a demora na escolha de um parceiro para bancar o naming rights faz parte de estratégia do clube. Quando a arena começar a ter uma cara, ficará mais fácil atrair propostas mais vantajosas, entende o diretor de marketing corintiano, Luis Paulo Rosenberg.

“Por enquanto as pessoas constatam que as obras estão em ritmo acelerado, mas ainda não identificam o estádio”, disse o diretor. “Quando tudo estiver subindo, com cara de estádio, as pessoas entenderão que aquilo é uma realidade, que não tem mais volta. A tendência é valorizar”, acrescentou.

ODEBRECHT LIDERA OBRAS DA COPA

  • Divulgação

    A construtora baiana Odebrecht é a empresa com maior envolvimento na construção de estádios para a Copa do Mundo de 2014. A empreiteira participa das obras de quatro dos 12 arenas que estão sendo construídos ou reformados para o Mundial.

Responsável pela construção do estádio, a Odebrecht busca com o Corinthians meios de financiar a obra. O plano montado pela construtora prevê a formação de uma “sociedade para fins específicos” (SPE), juridicamente capaz de pedir empréstimo junto ao BNDES, por um banco repassador.

Um fundo imobiliário será responsável pela gestão do dinheiro da obra, a contratação e pagamento da construtora. Fazem parte desse fundo de cotas o banco intermediário (repassador do dinheiro do BNDES), a construtora Odebrecht e o sócio minoritário Corinthians.

O Itaquerão é o que possui o assento mais caro. Sendo construído para receber 68 mil pessoas, o estádio tem um custo previsto de R$ 890 milhões, o que significa que o custo por assento é de R$ 13.088,23.

As obras do Itaquerão
As obras do Itaquerão

Placar UOL no iPhone