UOL esporte

  • http://esporte.uol.com.br/futebol/copa-2014/ultimas-noticias/2011/07/26/conselho-aprova-proposta-de-petraglia-para-obras-da-arena-da-baixada.htm
  • Conselho aprova proposta de Petraglia para obras da Arena da Baixada
  • 01/12/2020
  • UOL Esporte - Futebol
  • UOL Esporte
  • @UOLEsporte #UOL
  • 2
Tamanho da letra
26/07/2011 - 07h03

Conselho aprova proposta de Petraglia para obras da Arena da Baixada

Do UOL Esporte
Em Curitiba
  • Conselheiros rejeitaram parcerias com construtoras para as obras de conclusão da Arena

    Conselheiros rejeitaram parcerias com construtoras para as obras de conclusão da Arena

O ex-presidente do Atlético-PR, Mário Celso Petraglia, saiu vitorioso da reunião do Conselho Deliberativo do clube, na noite de segunda-feira. Sua proposta para a conclusão da Arena da Baixada, com vistas à Copa do Mundo de 2014, foi a escolhida pelo conselheiros, que acabaram rejeitando outros dois projetos, propostos pelas construtoras OAS e Triunfo.

Candidato à presidência do clube, nas eleições marcadas para dezembro, Petraglia sai muito fortalecido com o resultado da reunião.

Pela proposta, aprovada por 119 votos, o clube abre mão de parcerias com construtoras e irá tocar as obras do estádio com recursos próprios, provenientes de empréstimos. A ideia é levantar o dinheiro – em torno de R$ 180 milhões - em bancos e pagar em 15 anos, dando como garantia o potencial construtivo concedido pela Prefeitura de Curitiba. Os juros ficariam em torno 3,5% ao ano.

Com a aprovação da proposta de Petraglia, as construtoras Triunfo e OAS estão fora da disputa pelas obras do estádio, previstas para serem entregues em dezembro do ano que vem.

A construtora Triunfo se propôs a assumir a reforma em troca de 5% do valor da obra. Por sua vez, o Atlético ficaria encarregado de levantar o dinheiro necessário - cerca de R$ 193 milhões.

Pela oferta da OAS, caberia ao Atlético pagar R$ 28 milhões do custo total da obra. A construtora levantaria o restante por meio do potencial construtivo. Em contrapartida, ficaria sócia do clube na administração do estádio por 20 anos, tendo participação na divisão de receitas geradas. Independentemente da lucratividade do estádio, a OAS se comprometia a pagar, anualmente, R$ 5 milhões ao clube, em cada ano de contrato.

O desafio, agora, é colocar em prática a proposta o mais rápido possível, pois as obras já estão atrasadas. Petraglia ainda sonha com a possibilidade de o estádio atleticano ser uma das sedes da Copa das Confederações, em 2013, embora esta possibilidade esteja praticamente descartada
 

Conselho Administrativo 

Também na reunião ficou definida a nova composição do Conselho Administrativo do clube, após as saídas de Ênio Fornéa Junior e Yára Eisenbach. Foram aclamados para os cargos de primeiro e segundo vice-presidentes, respectivamente, Diogo Fadel Braz e Henrique Gaede. 

Placar UOL no iPhone