Telefonemas, broncas e mentiras marcaram troca de comando da seleção

Por Paulo Vinicius Coelho

Ednaldo Rodrigues foi reconduzido à presidência da CBF na quinta-feira à tarde, por medida liminar.

Jhony Pinho/AGIF

Na manhã seguinte, já havia a informação de que o novo-velho dirigente desejava Dorival Junior e Filipe Luís, como técnico e coordenador da seleção brasileira, respectivamente.

João Guilherme/Getty Images

Julio Casares, presidente do São Paulo, recebeu o aviso do próprio Ednaldo, antes de qualquer sinal a Fernando Diniz, com quem a CBF mantinha contrato.

Ettore Chiereguini/Ettore Chiereguini/AGIF

Aflito, Julio Casares telefonou ao presidente da Federação Paulista, Reinaldo Carneiro Bastos.

Keiny Andrade/Folha Imagem

Com a liberdade de quem apoiou o retorno de Ednaldo a sua cadeira, Reinaldo disse ao novo-velho presidente que, antes de tirar Dorival do São Paulo, a seleção precisa criar estrutura.

Robson Mafra/AGIF

Ednaldo fez parecer ter compreendido e aceitado o conselho. No fundo, estava instruído a criar factoides, disfarces para seus fracassos recentes.

Rafael Ribeiro/CBF

Anunciou Carlo Ancelotti e o italiano renovou com o Real Madrid. Contratou Fernando Diniz como técnico compartilhado.

Robbie Jay Barratt - AMA/Getty Images

Colocou dois interinos e fez a seleção, com pior desempenho em décadas, ganhar apenas de Bolívia, Guiné e Peru.

Visionhaus/Getty Images

Politicamente, isolou-se de modo a não ter apoio das federações e clubes e não conseguir nem sequer assinaturas para ser candidato, caso houvesse a nova eleição.

Vitor Silva/CBF

Ednaldo, então, decidiu disfarçar todos estes fiascos de sua gestão e contratar o novo técnico.

Thais Magalhães/CBF

Pagar a multa de R$ 4,5 milhões e tirar o treinador do São Paulo que, no primeiro momento, disse não ter sido procurado.

Joilson Marconne / CBF

O São Paulo, então, irritou o Fortaleza. Sem ter quitado a dívida da contratação do goleiro Felipe Alves, há 18 meses, o clube paulista é agora acusado de telefonar diretamente para o técnico Juan Pablo Vojvoda.

Marcello Zambrana/AGIF

Entre telefonemas, mentiras e traições, Ednaldo contratou Dorival Junior e o noticiário tratou do novo factoide, em vez do desastre na administração da CBF.

Franklin Jacome/Getty Images

Dorival Junior anunciou aceitar o convite no domingo à tarde. A partir de então, tornou-se o bote salva-vidas do futebol outrora pentacampeão mundial.

Thiago Ribeiro/AGIF
Publicado em 08 de janeiro de 2024.